Setembro
Agosto Azul
Nucleo
Banner Yamaha
FarmaVidda
Cotidiano

Diretor do DNIT garante que obras da BR-163 terão recursos

Em audiência no fim da tarde desta terça-feira (10) com o diretor nacional do DNIT em Brasília, Gal Santos Filho, o deputado federal Evandro Roman (Patriota) recebeu a garantia de que as obras da BR-163 terão continuidade em seus dois trechos: Toledo a Marechal Cândido Rondon e BR 277 (Cascavel) a Marmelândia, distrito de Realeza.

Evandro Roman informou ao diretor do órgão sobre a importância da obra e as paralisações que já aconteceram, trazendo insegurança à população da região. “Apresentamos ao general Santos Filho um resumo do que aconteceu até agora, cobramos a liberação de trechos já concluídos entre Cascavel e Capitão e a disponibilidade de recursos para que a obra seja concluída”, disse Roman.

Segundo informou Santos Filho, já estão liberados R$ 10 milhões para a continuidade dos trechos e em breve “haverá solução de recursos” para que a conclusão dos trechos. O diretor do DNIT assegurou ao deputado que o DNIT está acompanhando a obra, que entende “ser de extrema importância para toda a região Sul do país”.

As obras de duplicação da BR 163 nos dois trechos em execução demandam investimentos acima dos R$ 800 milhões de reais: R$ 578 milhões para o trecho de 74 km entre Cascavel-Marmelândia e R$ 306 milhões na duplicação dos 39 km entre Toledo e Marechal Cândido Rondon. A conclusão estava prevista para 2019, mas as paralisações por conta dos atrasos nos repasses de recursos devem empurrar o prazo para 2020.

Contorno Norte 

Evandro Roman aproveitou a reunião no DNIT para tratar do Contorno Norte de Cascavel, que sequer tem projeto. “Não é de hoje que prometem o contorno, mas fomos informados de que o projeto não existe. O que faremos agora é apresentar uma emenda para garantir o primeiro passo, que é o estudo de viabilidade. Vencida essa etapa, vamos nos empenhar para executar o projeto”, explicou Roman.

O Contorno Norte é uma obra estratégica na infraestrutura rodoviária da região e resolveria em grande parte o fluxo de veículos no Trevo Cataratas, hoje congestionado. O contorno retiraria do trevo e do trecho da 277 que corta parte da cidade todos os veículos que trafegam da região norte do Paraná ou do Mato Grosso em direção ao Sul. Mesmo que uma nova estrutura para o Trevo Cataratas seja viabilizada, a obra do Contorno se faz necessária, considerando o expressivo volume de tráfego.

TOPO