Bike Refran
Ortocolchões
Sandras Publi
Casa da cuca
JR color
Banner Yamaha
FarmaVidda
Cotidiano

Vigilância Epidemiológica investiga procedimento capilar que levou mulher à UTI

A vigilância Epidemiológica de Cascavel investiga o caso de intoxicação exógena, durante o alisamento capilar com uso de formol ? proibido o uso no Brasil desde 2009, em um salão de beleza, em 16 de agosto.

A cliente se intoxicou com formol e foi internada em estado grave no Hospital Nossa Senhora da Salete, onde passou dois dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) depois de ter uma parada respiratória.

A Vigilância Sanitária informou que só abre investigação assim que chega a notificação do Hospital, que foi entregue nesta quarta-feira (26), 10 dias após a vítima ser internada.

Em nota, a Vigilância Sanitária alerta sobre o uso da substancia que pode levar a morte. “Cabe lembrar que o uso de formol é proibido como alisante capilar. Permite-se uma concentração de 0,2% em produtos acabados. Essa concentração serve como conservante e não alisante. A legislação que proíbe o uso do formal existe desde 2009” descreve a nota.

O salão que promoveu o alisamento na cliente será notificado para apresentar o produto utilizado na mulher e dados devem ser coletados.

Com informação da Catve

TOPO