Setembro
Núcleo 09
Dengue Pato
Bike Refran
Maquininhas
Nucleo
Banner Yamaha
FarmaVidda
Esportes

Athletico vence o Internacional e abre vantagem na decisão da Copa do Brasil

Show

Um empate separa o Athletico da conquista inédita da Copa do Brasil. Com a Arena da Baixada lotada na noite da quarta-feira (11), o Furacão fez um jogo equilibrado nos primeiros 90 minutos da decisão, venceu o Internacional por 1×0 e, se não perder no duelo da quarta-feira que vem (18), no Beira-Rio, em Porto Alegre, garantirá o título da competição nacional pela primeira vez na sua história. Antes disso, a equipe do técnico Tiago Nunes volta à campo pelo Brasileirão, diante do Avaí, neste domingo (15), às 11h, novamente no Joaquim Américo.

Com a Arena lotada e sabendo da importância de abrir vantagem na decisão da Copa do Brasil, o Athletico pressionou o Internacional desde o início. Como sempre faz nos jogos dentro do Caldeirão, o Furacão conseguiu sufocar o adversário. Assim, passou a criar boas chances para abrir o placar. Na primeira delas, Rony recebeu de Nikão após jogada de Márcio Azevedo, mas a tentativa da bicicleta falhou. Na sequência, Rony foi lançado e, na cara do gol, o goleiro Marcelo Lomba levou a melhor.

Diante da pressão do Athletico, o Internacional recuou. Passou a marcar todo no campo de defesa para tentar conter o ímpeto do Furacão. Mas as chances seguiram aparecendo. Aos 13 minutos, depois da boa troca de passes pela esquerda, Rodrigo Moledo afastou mal, Rony ficou com a sobra, chutou e quase fez um golaço.

O lado esquerdo do Athletico, por conta da boa jornada de Márcio Azevedo, era a aposta do Athletico. Rony aparecia bem e causava desequilíbrio no sistema defensivo colorado. Mas apesar de jogar mais recuado, o Internacional, quando tinha a bola, conseguia chegar com perigo. Aos 21, Nico López tabelou com Edenilson e, dentro da área, bateu fraco.

O Colorado, na verdade, conseguiu equilibrar um pouco o jogo a partir da metade da etapa inicial, sobretudo porque conseguiu ficar mais com a bola. Assim, o Inter, jogando nos erros do Athletico, passou a assustar o goleiro Santos. Aos 26, Uendel recebeu livre, bateu de fora e o camisa 1 fez boa defesa.

O Athletico perdeu um pouco de força. Passou a dar espaços para o Internacional e começou a tomar alguns sustos. Aos 38, no chutão para frente, Robson Bambu falhou e Guerrero quase aproveitou. O Furacão já não conseguia ser tão efetivo no ataque, muito pela boa marcação do colorado, que garantiu a igualdade nos primeiros 45 minutos.

O Internacional voltou melhor do intervalo. Com a marcação bem encaixada, o colorado não dava espaços para o Athletico. Assim, criou boas chances de marcar nos primeiros dez minutos com Patrick e com Edenílson. O técnico Tiago Nunes, então, não esperou nem os primeiros 15 minutos para tirar Léo Cittadini e colocar Thonny Anderson.

O ex-jogador do Grêmio, no seu primeiro toque na bola, brigou pela bola depois da jogada de Marco Ruben e a bola sobrou para Bruno Guimarães, melhor em campo, que bateu da entrada da área, acertou o ângulo e abriu o placar na Arena da Baixada. Era, então, tudo que o Athletico queria para impor seu ritmo de jogo.

O Internacional, sobretudo por conta da postura mais defensiva do Athletico, tomou conta do jogo. Passou a ter mais posse de bola e a pressionar em busca do empate. Aos 25, depois da falha da zaga, Guerrero ganhou a disputa e D’Alessandro perdeu a chance. No contra-ataque, o Furacão respondeu a altura e quase chegou ao segundo gol. Rony avançou, fez fila e, da entrada da área, obrigou o goleiro Marcelo Lomba a fazer grande defesa.

Marcelo Cirino entrou e o Athletico perdeu um pouco da sua força ofensiva. O Internacional seguiu buscando o empate e quase conseguiu aos 30 minutos. Depois do cruzamento de D’Alessandro, Robson Bambu falhou e Rodrigo Lindoso quase marcou. Na sequência, o meia argentino cobrou escanteio, Santos tirou e, no rebote, o camisa 10 mandou de longe e o goleiro atleticano se recuperou.

Nos minutos finais, o técnico Tiago Nunes apostou na entrada de Lucho González no lugar de Rony. Se por um lado perdeu a força e a velocidade para contra-atacar, o Athletico preencheu mais o meio de campo e o setor de marcação. O Inter, então, já com dificuldades para chegar na frente, parou na boa marcação e o Furacão saiu em vantagem nos primeiros 90 minutos na decisão da Copa do Brasil.

Ficha técnica

Copa do Brasil
Final – Jogo de ida

ATHLETICO 1×0 INTERNACIONAL

Athletico
Santos; Khellven, Lucas Halter, Léo Pereira e Marcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Léo Cittadini (Thonny Anderson); Nikão, Rony (Lucho González) e Marco Ruben (Marcelo Cirino).
Técnico: Tiago Nunes

Internacional
Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenilson (Nonato), Patrick, D’Alessandro (Rafael Sóbis) e Nico López (Wellington Silva); Paolo Guerrero.
Técnico: Odair Hellmann

Local: Arena da Baixada
Horário: 21h30
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (Fifa-RJ) e Neuza Ines Back (Fifa-SP)
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Gol: Bruno Guimarães 16 do 2º
Cartões amarelos: Khellven, Nikão, Wellington (CAP)
Renda: R$ 2.685.790,00
Público total: 39.972

Fotos: Albari Rosa.

Com informação Tribuna

TOPO