FarmaVidda
Esportes

Em grande jogo, Internacional vence o Cruzeiro no Beira-Rio e ultrapassa rival no Brasileiro

Em um jogo de alto nível técnico, o Internacional venceu o Cruzeiro por 3 a 1, neste domingo (12), à tarde, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Depois de um primeiro tempo equilibrado, o time gaúcho foi bem superior na etapa final e poderia até ter vencido por mais gols, pois o meia D’Alessandro desperdiçou um pênalti.

A vitória deixou o Internacional com seis pontos, em posição intermediária da tabela, na frente do próprio Cruzeiro, que tem a mesma pontuação, mas menor saldo de gols: 0 a -2. Esta foi a segunda derrota seguida do time mineiro, que no meio de semana perdeu em casa para o Emelec, por 2 a 1, pela sexta e última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores.

Mesmo mantendo apenas quatro jogadores que perderem para o Emelec, na última quarta-feira, o Cruzeiro apresentou um time forte, inclusive, com a volta do atacante Fred, artilheiro da temporada com 16 gols e completando seu jogo de número 700 na carreira profissional. E a equipe celeste começou ligada e quase abriu o placar antes do segundo minuto. Fred desceu pela direita e cruzou rasteiro para o chute de chapa de Thiago Neves, mas para fora.

Aos 20 minutos, o visitante deu outra investida perigosa quando Pedro Rocha puxou contra-ataque pelo lado esquerdo e rolou rasteiro para Jadson que, de frente para o gol, também chutou pra fora. O time mineiro parecia ter domínio do meio-campo, que era objetivo do técnico Mano Menezes.

Mas, quando chegou na frente, o Internacional abriu o placar. Aos 31 minutos, Paolo Guerrero cobrou falta na frente da área. A bola desviou na barreira, subiu e bateu na trave direita de Fábio. De repente, apareceram três colorados para completar para as redes. Nonato foi mais esperto e tocou de peixinho, na frente de Edenilson e Moledo.

O Cruzeiro não se abalou, mesmo porque empatou pouco depois, aos 36 minutos. Thiago Neves cobrou falta da intermediária em direção à grande área. A defesa se preocupou com Fred, que não alcançou a bola que praticamente bateu no pé do zagueiro Dedé e entrou no canto esquerdo de Marcelo Lomba.

No segundo tempo, Odair Hellmann adiantou o time gaúcho, dificultando as saídas de bola dos visitantes. Após uma forte blitz, o Inter chegou ao segundo gol. Edenilson roubou a bola e a entregou para D’Alessandro, que acionou Nico López em velocidade. O goleiro Fábio saiu e abafou, mas o rebote ficou para chute de Guerrero em cima de Dedé. Em seguida D’Alessandro chutou e Dodô salvou na pequena área, mas o rebote caiu nos pés de Guerrero, que bateu no alto para balançar as redes.

O Inter continuou melhor e quase ampliou aos 15 minutos, quando Victor Cuesta lançou Nico López em velocidade e ele bateu por cobertura. A bola resvalou na trave esquerda de Fábio e saiu. Aos 20 minutos, Dodô foi imprudente ao dar carrinho e atingir as pernas de Nonato: pênalti bem marcado por Raphael Klaus. Na cobrança, aos 22 minutos, D’Alessandro deslocou Fábio, porém, chutou para fora.

Antes mesmo da cobrança da penalidade, Mano Menezes fez duas trocas. Entraram David e Rodriguinho, respectivamente, nas vagas de Jadson e Pedro Rocha. De outro lado, Hellmann também mudou. Primeiro com Parede na vaga de Nonato, machucado, e depois com Rafael Sóbis no lugar de D’Alessandro, numa troca mais ofensiva. Neste cenário de xadrez, Mano ainda reforçou o ataque mineiro com Sassá no lugar de Fred.

Aos 33 minutos surgiu o primeiro lance polêmico a favor do Internacional quando Nico López apareceu nas costas da defesa e no momento da finalização teria sido puxado por Léo. Isso facilitou a saída de Fábio. O VAR foi acionado e não marcou a penalidade máxima.

Mas o Inter continuava melhor e ampliou aos 37 minutos. Rafael Sóbis cobrou falta da intermediária com força. A bola ultrapassou a barreira, teve um leve desvio nas mãos de Fábio e explodiu no travessão. Desta vez quem chegou para completar foi o zagueiro Rodrigo Moledo, que testou para as redes. Daí a torcida não se conteve e festejou até o final.

Nos acréscimos, Sassá ainda teve a chance de diminuir, mas chutou duas vezes em cima do goleiro Marcelo Lomba, que garantiu o placar. Ainda deu tempo de Edilson dar uma cotovelada na boca de Nico López e ser expulso direto com o cartão vermelho. Ao final do jogo, Nico ainda tentou discutir com Edilson e houve um empurra-empurra entre todos os jogadores.

O Internacional vai ter a semana inteira para se preparar visando o jogo contra o CSA, no sábado, de novo em Porto Alegre. O Cruzeiro vai viver uma semana de duelos com o Fluminense. Na quarta-feira pega o rival tricolor pela oitavas de final da Copa do Brasil. O jogo será disputado no Maracanã, a partir das 21h30. Pelo Brasileiro, os dois times voltam a se enfrentar no sábado, às 16 horas, de novo no Rio, pela quinta rodada do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL 3 X 1 CRUZEIRO

INTERNACIONAL – Marcelo Lomba; Zeca, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Edenílson, DAlessandro (Rafael Sóbis) e Nonato (Parede); Nico López e Paolo Guerrero (Sarrafiore). Técnico: Odair Hellmann.

CRUZEIRO – Fábio; Edílson, Dedé, Léo e Dodô; Lucas Silva, Lucas Romero, Jadson (David) e Thiago Neves; Pedro Rocha (Rodriguinho) e Fred (Sassá). Técnico: Mano Menezes.

GOLS – Nonato, aos 31, e Dedé, aos 36 minutos do primeiro tempo; Guerrero, aos nove, e Rodrigo Moledo, aos 37 do segundo.

ÁRBITRO – Raphael Claus (SP).

CARTÕES AMARELOS – Não houve.

CARTÃO VERMELHO – Edilson (Cruzeiro).

RENDA – R$ 948.310,00.

PÚBLICO – 20.673 pagantes (23.416 total).

LOCAL – Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS).

com Agência Estadão

TOPO