Bike Refran
Ortocolchões
Sandras Publi
Família Acolhedora
Dengue antes
Casa da cuca
Banner Yamaha
FarmaVidda
Esportes

Secretária de Saúde de Marechal Rondon emite nota sobre caso de rondonense com Coronovírus

A Secretaria de Saúde de Marechal Rondon, através do Setor de Epidemiologia, vem a público informar, em razão de um vídeo postado em rede social pelo Sr. Thiago Wild, que, no dia 19 de março do corrente, o epigrafado foi notificado junto ao sistema FORMSUS, do Ministério da Saúde, por um estabelecimento de saúde privado do Município, como caso suspeito de coronavírus, cuja informação da notificação foi repassada, ao Setor de Epidemiologia do Município, no dia 21 de março de 2020.

 

O acompanhamento dos sintomas e da evolução do indivíduo com indicação suspeita e de seus comunicantes, quais sejam, daqueles que com este mantiveram contato, é de competência do estabelecimento privado, responsável pela comunicação de notificação.

 

A cópia do resultado do exame para detecção do coronavírus do Sr. Thiago Wild, foi encaminhada, ao Setor de Epidemiologia do Município, por volta das 09 horas e 15 minutos, do dia de hoje, pelo estabelecimento privado que acompanha o epigrafado.

 

Logo em seguida, o Setor de Epidemiologia Municipal estabeleceu contato com a 20ª Regional de Saúde, em Toledo, solicitando esclarecimentos, uma vez que que a coleta do material e o resultado do exame foram efetivados em laboratório privado.

 

A 20ª Regional de Saúde e o Município de Marechal Cândido Rondon aguardam posicionamento do CIEVS – Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, acerca da validação do resultado do exame ou indicação de encaminhamento de eventual amostra para o LACEN – Laboratório Central em Curitiba.

 

Registramos, outrossim, que na ficha de notificação lançada no sistema FORMSUS, foi consignado que o Sr. Thiago Wild seja residente no Rio de Janeiro, de sorte que a eventual confirmação oficial do resultado o caracterizará como importado.

 

Vale ressaltar, ainda, que o Setor de Epidemiologia não pode divulgar nome de quaisquer pacientes que sejam notificados por algum tipo de moléstia, cuja conduta foi rigorosamente sempre aplicada a todas as notificações apresentadas ao Poder Público, que divulga, apenas, os números de casos notificados e as patologias determinadas.

 

Por fim, esclarecemos que, da apuração dos elementos até agora coletados, o Setor de Epidemiologia não identificou qualquer falha de fluxo, sendo certo que a situação está sendo acompanhada, de perto, pela 1ª Promotoria de Justiça de Marechal Cândido Rondon, com atribuições na área de Proteção à Saúde Pública.

 

Marciane Maria Specth, Secretaria Municipal de Saúde, Marechal Cândido Rondon, 25 de março de 2020.

TOPO