Bike Refran
Ortocolchões
Sandras Publi
Casa da cuca
JR color
Banner Yamaha
FarmaVidda
Policial

Mais de 650 toneladas de maconha são incineradas durante a Operação Nova Aliança

A operação Nova Aliança, iniciativa da Polícia Federal em parceria com a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai, erradicou 127 hectares de plantios ilícitos, incinerou 1,1 quilos de sementes de cannabis, destruiu 70 acampamentos e impediu que mais de 658 toneladas de maconha ingressassem no mercado ilícito do Paraguai e do Brasil. Os dados foram apresentados no Parque Tecnológico Itaipu, na segunda-feira (24).

Para o ministro André Mendonça, a integração entre as forças de segurança no Paraná é um exemplo para o país. “Que a Secretaria de Operações Integradas seja o grande articulador. Nosso compromisso é ajudar o Paraná a ter melhores indicadores, e unir esforços para melhorar o nosso país”, afirmou. O embaixador do Paraguai no Brasil, Juan Angel Delgadillo, lembrou que a parceria com o Estado já é antiga, mas está sendo aprimorada a cada nova ação e troca de informações entre as forças. “O trabalho de união de esforços tem surtido efeito em ambos os países e já dura bastante tempo. Estamos intensificando ainda mais as ações por meio desta grande operação, que nada mais é que uma grande parceria contra o tráfico de drogas”.

?Um dos pilares da segurança pública é a integração. Uma ação deste porte, para combater o tráfico, contrabando e descaminho nas nossas fronteiras, é essencial. E a vinda do ministro mostra o alinhamento que existe entre o governo federal, estadual e municipal, e agora também com o Paraguai”, destacou o secretário Romulo Marinho Soares, que no evento representou o governador Ratinho Junior.

O diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Joaquim Silva e Luna, parabenizou as ações apresentadas durante a solenidade e reforçou que a operação desenvolvida é exemplo para outros estados. “Esta integração nacional é de suma importância para o combate da entrada de drogas no território brasileiro e a Operação Aliança é exemplo disso”.

O ministro André Mendonça salientou a parceria entre o Estado e a Federação, e também o trabalho do secretário Romulo Marinho Soares. “O trabalho à frente da Secretaria da Segurança Pública muito tem colaborado. Vemos vários resultados não só de superação, mas de combate ao crime de modo geral, não só no âmbito do Estado, mas colaborando também com o país”, afirmou.

OPERAÇÃO

A Nova Aliança tem como foco principal da ação o combate ao tráfico de drogas, principalmente na região de fronteira entre Brasil e Paraguai. É realizada por meio de cooperação internacional, com o objetivo de erradicar o cultivo por meio do compartilhamento de cannabis em território paraguaio, cuja grande parte da destinação, segundo o Governo Federal é o território brasileiro.

Com compartilhamento de dados de inteligência, integração de recursos humanos e aplicação conjunta de equipamentos, veículos e aeronaves, as forças policiais apreenderam, desde 2010, mais de 2.505 toneladas de maconha.

Durante o evento, quem apresentou o balanço da operação foi o coordenador-geral de Repressão a Drogas, Armas e Facções Criminosas da Polícia Federal, Elvis Secco. Ele também discursou sobre a atuação da Polícia Federal no combate ao tráfico de drogas e expectativas para os próximos meses. ?Em 2020, esta é a primeira operação que nós fazemos. A nossa meta são seis operações por ano, ou seja, tentar fazer uma a cada dois meses e, com isso, atingir números muito mais expressivos?.

CIOF

A comitiva de Brasília visitou ainda toda a estrutura do Centro Integrado de Operações de Fronteira (CIOF), coordenado pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi) e inaugurado em dezembro do ano passado no Paraná. O Centro, que está instalado no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu, é formado por forças nacionais e estaduais, que trabalham de forma integrada em ações estratégicas desenvolvendo operações ostensivas, auxiliando em investigações e combatendo facções criminosas.

Para o secretário Marinho, o alto índice de apreensão de droga é resultado da parceria entre órgãos, agora com maior força com a criação do Centro Integrado de Operações de Fronteira. ?As fronteiras continuam fechadas e as forças de segurança, estaduais e federais, vêm batendo recordes de apreensão do ilícito. Isso mostra que estamos no caminho certo, que temos que dar prioridade para esse assunto?, disse.

?O CIOF é onde concentramos todas as informações de inteligência para que possamos acompanhar e desencadear operações nessa região com o objetivo de reduzir a criminalidade que entra em nosso país. É muito importante o entrosamento, a integração e a união entre as forças?, ressaltou o secretário.

Foto: Vision Art/Itaipu Binacional
Com informação da Agência de Notícias do Paraná e Catve
TOPO