Bike Refran
Ortocolchões
Sandras Publi
Casa da cuca
JR color
Banner Yamaha
FarmaVidda
Policial

Polícia descobre que na verdade duas crianças morreram em incêndio criminoso

A tragédia na família de Rosenilda Rodrigues foi maior do que se imaginava. Horas depois de confirmar a morte de uma criança de dois anos, a polícia confirmou uma segunda morte no incêndio criminoso que atingiu a casa da família na Vila Madre, em Rio Branco do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Trata-se da filha caçula de Rosenilda com o companheiro que provocou o fogo.

O corpo da pequena Ashley, de apenas um ano, foi localizado em meio aos escombros. A morte da irmã de dois anos, chamada Mábile, já havia sido localizado na casa. A mãe foi encaminhada em estado grave ao hospital com várias queimaduras. Ela voltou para dentro da residência para salvar as filhas e não conseguiu.

A tragédia aconteceu em uma casa de madeira numa área de morro, bastante íngreme, na Vila Madre. O fogo tomou conta de tudo rapidamente. Vizinhos contaram o desespero de Rosenilda.

Ela saiu com a casa pegando fogo, mas ainda voltou pra tentar salvar a filhinha. Foi ai que ela se queimou bastante, mas não conseguiu tirar a menina a tempo. Meu Deus, essa menininha estava ontem brincando na areia, feliz e hoje essa tragédia”, disse uma vizinha no local da tragédia, ainda quando se imaginava que a filha caçula havia sido levada pelo pai.

Um segundo corpo foi localizado, mas, num primeiro momento, imaginava-se tratar de um animal de estimação.

O pai de Rosenilda, Vitor Rodrigues, contou que os outros três filhos dela dormiram na casa dele. “Se todos estivessem aqui teria sido ainda pior. Perdi minha netinha e é muito triste?, contou cedo, sem saber que a outra neta também havia morrido.

Brigas
Segundo a polícia, o responsável pelo incêndio foi Lucas Machado, marido de Rosenilda e pai de Ashley. Ele chegou a fugir, mas foi preso em seguida.

O casal havia discutido e o Lucas foi embora na noite anterior. No final da madrugada ele voltou e ateou fogo na casa. O avô disse ainda que as brigas eram constantes. “Eles viviam brigando e se acertando. A gente sabia também que usavam drogas. Só acordei com o fogo alto”, disse.

Os bombeiros tiveram dificuldade pra resgatar a mãe das crianças em razão da casa ficar num local de difícil acesso. “O estado de saúde dela é bem grave, com muitas queimaduras. Uma situação lamentável”, contou.

A mulher foi encaminhada para o Hospital Evangélico, em Curitiba. O homem foi levado para a delegacia de Rio branco do Sul e o corpo das crianças recolhidos pelo IML.

Com informação e foto: Banda B e Catve

TOPO