Bike Refran
Ortocolchões
Sandras Publi
Casa da cuca
JR color
Banner Yamaha
FarmaVidda
Policial

Serra do RS registra fim de semana violento com pelo menos sete mortes

A Região da Serra do Rio Grande do Sul teve mais um fim de semana violento. Em Caxias do Sul, três pessoas foram mortas entre o sábado e o domingo. Em Farroupilha, a polícia entrou em confronto com um grupo criminoso e matou quatro suspeitos no sábado (31).

No domingo (1º), um homem de 51 anos foi morto a tiros por dois motociclistas no bairro Santa Fé, em Caxias do Sul.

No sábado (31), dois homens foram mortos dentro de casa no bairro Montes Claros. Segundo a polícia, três pessoas invadiram a casa e efetuaram vários disparos, fugindo depois do crime. Um suspeito foi preso.

As vítimas foram identificadas como Rodrigo Damaceno, de 37 anos e Cristiano Vervasio, de 43. Os dois tinham antecedentes por furto e roubo.

A maior cidade da Serra chegou a 24 homicídios no mês de outubro, sendo o mês com o maior número de mortes nos últimos quatro anosA polícia acredita que os crimes tenham relação com o tráfico de drogas, em sua maioria.

“Em especial, no mês de outubro, a sequência de homicídios que nós tivemos em Caxias do Sul, grande parte deles têm relação com organizações criminosas e por disputa de territórios de tráfico de entorpecentes”, destaca o major Diego Soccol, comandante do 4º Batalhão de Polícia de Choque.

Brigada Militar realizou ação que terminou com quatro suspeitos mortos em Farroupilha — Foto: Reprodução / RBS TV

Brigada Militar realizou ação que terminou com quatro suspeitos mortos em Farroupilha — Foto: Reprodução / RBS TV

Confronto em Farroupilha

Neste sábado (31), a polícia entrou em confronto com um grupo criminoso suspeito de participar de diversos assassinatos ocorridos nos últimos dias na Serra. Uma mulher e três homens foram mortos.

A Brigada Militar já investigava o grupo. “Nosso setor de inteligência, nossos agentes monitoraram todo o dia o local e no final da tarde, início da noite, o batalhão de choque acabou aproximando do local e verificando a situação. Chegando nas imediações da residência foram recebidos a tiros e teve o confronto com nossos policiais culminando no óbito dos quatro indivíduos”, diz o major Soccol.

Um crime cometido na última quinta-feira (29) ajudou a polícia a encontrar o cativeiro. Bruno da Costa, de 22 anos desapareceu em Bento Gonçalves. O corpo foi encontrado na sexta-feira (30), queimado, em Carlos Barbosa. Ele teria envolvimento com o tráfico de drogas.

“Foi ventilado nos grupos de aplicativos várias imagens de um indivíduo decapitado e com os dedos cortados e um vídeo desse indivíduo instantes antes, mencionando que teria uma dívida em que venderia a própria motocicleta para quitá-la”, conta o major.

Na casa, a polícia apreendeu armas e uma caminhonete furtada. O grupo também é suspeito de esquartejar e abandonar um corpo dentro de uma mala na última quarta-feira (28).

Este é o segundo confronto entre polícia e suspeitos somente no mês de outubro, na Serra. No dia 14, a Brigada Militar fazia o monitoramento de um local em Caxias do Sul, quando um carro chegou atirando. Seis suspeitos morreram. Nenhum policial ficou ferido.

Corpo foi encontrado esquartejado dentro de uma mala em Farroupilha  — Foto: Reprodução / RBS TV

Corpo foi encontrado esquartejado dentro de uma mala em Farroupilha — Foto: Reprodução / RBS TV

Investigação

De acordo com o delegado regional da Serra, Paulo Rosa, a polícia investiga a atuação do grupo na região. A suspeita é de que as ações sejam orquestradas de dentro de presídios.

“Nós já temos bem avançadas as investigações. O mando é originário de dentro do sistema prisional. Tanto do município de Caxias do Sul, dos dois presídios, quanto de outros presídios de fora de Caxias do Sul e, também, de Bento Gonçalves. Então, estamos trabalhando com isso daí”.

Ele explica que pediu um reforço para auxiliar nas investigações. “Já conversei com a chefia de polícia. Um reforço de servidores policiais, inclusive mais um delegado, pra auxiliar nesta investigação. Embora nosso pessoal seja bastante qualificado, e que temos um grau de esclarecimento muito bom, mas nós temos uma situação totalmente fora da normalidade”, destaca.

Foto: Reprodução / RBS TV

Com informação Róger Ruffato, RBS TV e G1 RS
TOPO