Bike Refran
Prefeitura de Mercedes
Ortocolchões
Banner Yamaha
FarmaVidda
Cotidiano

A partir de janeiro, consumidor residencial poderá pagar menos na luz no Paraná

A partir do dia 1º de janeiro independente do nível de consumo no imóvel, o morador poderá ter mais descontos na conta de energia elétrica se controlar os gastos no horário de pico, onde as taxas de cobranças são mais caras.

Em vigor desde 2018, a Tarifa Branca será ampliada para quase todo o país a partir de 2020. O Paraná está entre os estados. A modalidade funciona da seguinte forma: ela é calculada em três faixas de valores. Em dias normais – úteis, a cobrança de energia é dividida em três horários. Tarifa vermelha, entre o fim da tarde e início da noite, intermediária – faixa amarela, está entre uma hora antes e uma hora depois do horário de ponta. E o horário de fora ponta – verde, com custo mais baixo no restante do dia.

A Copel definiu no Paraná o horário de ponta, e ficou entre às 18 e 20h59, com o KWh mais caro, portanto, evitar luz acessa, vários aparelhos interligados na mesma tomada, ferro de passar roupas e chuveiro elétrico nesses horários, ajudará a economizar.

O consumidor para aderir a tarifa branca tem que pedir a mudança na companhia, no entanto, caso não mude os hábitos, como tomar banho em horários fora das faixas de tarifa vermelha e amarela, ou utilizar aparelhos elétricos com grande consumo por longos períodos, poderá fechar o mês com a conta de energia ainda mais alta.

o que muda em 2020?

A Tarifa Branca entrou em vigor no ano de 2018, mas apenas para unidades consumidoras com média anual de consumo acima de 500 kW/h.

A partir de 2019, as regras se estenderam para novas solicitações, casas com consumo acima de 250 kW/h. A partir de janeiro de 2020, qualquer unidade consumidora poderá solicitar a medida.

Vale lembrar que a tarifa branca não se aplica aos clientes inscritos no Baixa Renda e nem para iluminação pública.

Com informação da Catve

TOPO