Bike Refran
Prefeitura de Mercedes
Ortocolchões
Sandras Publi
Família Acolhedora
Dengue antes
Campanha Dengue
Banner Yamaha
FarmaVidda
Cotidiano

ALERTA: Casos de dengue continuam a subir e chegam a 523 em Cascavel

Os esforços da toda a rede de saúde pública são intensos no combate à dengue. São equipes de agentes de Endemias nas ruas e uma força-tarefa para os atendimentos nas UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento). A ação é necessária porque os casos de dengue continuam a subir, deixando todo o Município em uma situação extremamente alarmante, até porque a dengue é fatal. Somente no estado do Paraná, já são 30 mortes confirmadas e 44 mil casos positivos.

De acordo com o novo Boletim Epidemiológico da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Cascavel contabiliza de julho de 2019 até 07 de março, 523 casos confirmados de dengue. Até semana passada, eram 392 casos, ou seja, um aumento de 33%, o que corresponde a 131 novos casos.

Outro dado preocupante é o número de casos que ainda estão aguardando o resultado ou coleta de exame: já são 917. Isto é, o risco é alto, pois são quase mil casos esperando uma confirmação, o que pode refletir num aumento significativo de confirmações nas próximas semanas. O novo boletim traz também a informação que 684 casos foram descartados. Cascavel conta com alto índice de infestação de 5,2% do LIRAa (Levantamento de índice Rápido Amostral por Aedes aegypti).

A dengue tem se tornado a maior inimiga da saúde pública de Cascavel, uma vez que os casos aumentam e abarrotam as unidades de saúde do Município. No entanto, é uma situação que pode ser evitada apenas com cuidados básicos, como a eliminação de focos e criadouros, afirma a diretora de Vigilância em Saúde, Beatriz Tambosi, que apela que os cascavelenses tomem frente nessa batalha, senão o resultado pode ser uma morte. “Precisamos muito do apoio da população. Se cada um não fizer sua parte, nós vamos perder essa batalha para o Aedes e provavelmente poderemos ter óbitos por dengue, como já vem acontecendo em cidades vizinhas, um exemplo é Medianeira, que chegou a três óbitos na cidade”, enfatiza.

Segundo Beatriz, todos os dias aparecem novas denúncias. Por isso, é importante que cada um faça seu papel cidadão e se responsabilize em eliminar possíveis focos dos mosquitos. Além das agentes de Endemias, o Município conta também com a coleta de volumosos e a coleta regular de lixo, que são importantes ferramentas nessa batalha. Desde o último dia 20, o Município conta também com o fumacê, no entanto, a redução de mosquitos alados não foi tão significativa. Dessa forma, somente uma mobilização da comunidade é o que fará a diferença nessa guerra contra o mosquito. ?Cascavelenses, por favor, não joguem lixo em terreno baldio, não joguem lixo na rua, o mosquito só precisa de gotículas de água para botar seus ovos e se proliferar. Destine corretamente seu lixo. Não jogue aquela garrafinha pet pela janela do carro, não jogue a tampinha, não jogue o copo, ensine seus filhos a maneira correta de destinar o lixo. A dengue mata?, implora Beatriz Tambosi, ao reforçar o pedido aos empresários para que vistoriem suas empresas.

Dentre os locais que precisam ser vistoriados pela população estão: tonéis com captação de água da chuva, aquários sem bomba de oxigenação, pratos de vasos de plantas, bandejas das geladeiras, bebedouro de animais, tanque de roupas que ficam com água empossada no fundo, coletor de água da saída do ar-condicionado, lixeiro sem tampa e sem furo embaixo, piscinas de plástico, cisternas, caixas de gorduras e plantas aquáticas, pequenos objetos nos quintais; como tampas de garrafas, copos plásticos e brinquedos infantis. A destinação de pneus também é outro problema. A recomendação é deixá-los em uma área coberta ou então encaminhar para uma borracharia que se responsabilize.

Agentes de Endemias
Conforme o balanço da Vigilância em Saúde Ambiental, de 1º de janeiro de 2020 até 29 de fevereiro deste ano, a equipe de Endemias já visitou 90.218 residências. Desse total, 38.086 foram li t, as chamadas visitas de raios onde tiveram casos suspeitos.

Em relação aos imóveis que não foram vistoriados por falta de moradores, a Secretaria de Saúde recomenda que o cidadão entre em contato para agendar uma visita dos agentes de Endemias. O agendamento pode ser marcado inclusive nos fins de semana. Os telefones para contato são: (45) 3902-1769 ou o (45) 3902-1343.

Com informação da Catve

TOPO