Bike Refran
Ortocolchões
Sandras Publi
Casa da cuca
JR color
Banner Yamaha
FarmaVidda
Cotidiano

Alpinista morre e outro fica preso em paredão de cânion após pedra deslizar na Serra de SC

Um alpinista morreu e outro ficou preso a uma altura de 200 metros na manhã de domingo (11), após uma pedra deslizar do Cânion Espraiado, em Urubici, na Serra de Santa Catarina. O socorro demorou seis horas e foi feito por policiais militares com a ajuda do helicóptero Águia.

O empresário Lucas de Zorzi, de 39 anos, foi atingido na cabeça, ficou inconsciente e morreu durante o percurso que fazia de rapel. Com o acidente, o homem que estava com ele não conseguiu se mover do paredão e também precisou ser resgatado. Ele sofreu hematomas leves.

Segundo relato do sobrevivente, a pedra deslizou no momento em que ele e Lucas subiam o cânion, por volta das 10h. Após o acidente, o homem conseguiu área no celular e chamou por ajuda.

Como era uma região de difícil acesso, um dos cinco socorristas que participaram do resgate precisou descer do helicóptero por meio de uma corda. A equipe resgatou Lucas, que foi encaminhado ao Hospital Nossa Senhora do Prazeres, mas sem sinais vitais. Em seguida, o helicóptero retornou ao local e socorreu o segundo alpinista.

Técnica

Socorristas precisaram utilizar a técnica McGuire — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Socorristas precisaram utilizar a técnica McGuire — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Conforme o Batalhão de Aviação da Polícia Militar, a operação foi “marcada pelo alto grau de dificuldade pelas peculiaridades do local”. Os socorristas precisaram utilizar a técnica McGuire, que consiste no lançamento de um tripulante do helicóptero ligado pairado, por meio de descida no rapel, amarração e imobilização das vítima e içamento por meio de cordas .

Lucas Zorzi

Apaixonado por esporte, Lucas possuía experiência em esportes radicais — Foto: Redes Sociais/ Reprodução

Apaixonado por esporte, Lucas possuía experiência em esportes radicais — Foto: Redes Sociais/ Reprodução

Diretor de uma empresa de equipamentos para indústria madeireira, Lucas foi campeão Brasileiro de Wingsuit Artístico nos anos de 2015, 2016 e 2017, e recordista Sul e Latino Americano da modalidade. Ele também era instrutor do esporte que tem como fundamento o uso de um macacão com asas para voos de alta performance.

Apaixonado por esporte, possuía experiência em escalada em rocha esportiva e alta montanha, e praticante de snowboard, paraquedismo e skydive. Ele deixa um filho e mulher.

Após a divulgação da morte do empresário, clube de Wingsuit em que Lucas era instrutor lamentou acidente. Em uma publicação nas redes sociais, a escola afirmou que Lucas era um dos melhores do esporte.

“E com grande pesar que comunicamos a toda comunidade a perda do nosso grande irmão Lucas, um amigo incrível, pai e marido dedicado, que na qualidade de atleta estava entre os melhores do esporte! Você sempre estará em nossas mentes e nossos corações. Descanse em paz nosso querido irmão”, dizia a nota publicada na noite de domingo.

Empresa emite comunicado

Ao comunicar a morte de Lucas, a Mill Indústria de Serras, localizada em Lages, também manifestou pesar pela morte do diretor da companhia. “O falecimento prematuro interrompe tragicamente uma trajetória marcada pelo espírito aventureiro, por vitórias e conquistas, deixando um grande legado de empreendedorismo e dedicação que servirão de exemplo para as futuras gerações”, dizia o comunicado.

O velório de Lucas ocorrerá até a tarde desta segunda-feira (12), no Cemitério Parque da Saudade, em Lages.

Com informação Caroline Borges, G1 SC

TOPO