Dengue Pato
Bike Refran
Maquininhas
Prefeitura de Mercedes
Ortocolchões
Campanha Dengue
Banner Yamaha
FarmaVidda
Cotidiano

Marinha do Paraguai auxilia nas buscas por 4ª vítima de afogamento

As buscas pela terceira trigêmea de 13 anos que desapareceu após afogamento no Rio Paraná no último sábado (30), continuam.

Nesta quarta-feira (4) o Corpo de Bombeiros de Mundo Novo, Mato Grosso do Sul, completa quatro dias de buscas, porém, sem nenhuma novidade. O próximo passo que já foi tomado pela corporação, foi o de pedir apoio à Marinha do Paraguai e também ao Corpo de Bombeiros de Guaíra, no Paraná, que agora, realizaram buscas no Rio Paraná, porém em suas áreas.

Segundo informações preliminares, os dois trigêmeos de 13 anos que já foram localizados e velados, no momento em que a queda na água ocorreu, foram “socorridos” por Marcos Roberto Campos, de 47 anos, e por isso foram localizados mais próximos da margem. Porém, devido ao peso e desespero dos adolescentes, os três acabaram se afogando.

A outra trigêmea, segundo o Corpo de Bombeiros, pode ter sido levada pela correnteza.

Agora, o trabalho é realizado em conjunto, entre Marinha do Paraguai, e Corpo de Bombeiros de Mundo Novo-RS e Guaíra-PR, no esforço de localizar a quarta vítima de afogamento.

Sobre o afogamento
Quatro pessoas desapareceram no Rio Paraná, na tarde de sábado (30) na região conhecida como Praia do Sol, próximo ao Porto Izabel, em Mundo Novo no Mato Grosso do Sul.

As equipes informaram que cinco pessoas, o homem, Marcos Roberto Campos, de 47 anos e mais quatro adolescentes chegaram na prainha em barco de alumínio para tomar banho, mas logo após a chegada se afogaram. A área é muito utilizada por banhistas, porém é considerada perigosa pelas pescadores e salva-vidas da região. O adolescente de 14 anos, filho de Marcos, foi resgatado por embarcação que passava pelo local no momento dos afogamentos.

O homem de 47 anos foi a primeira vítima a ser localizada sem vida. Além do homem, os corpos de mais dois adolescentes de 13 anos foram encontrados. Ainda está desaparecido um dos trigêmeos, uma menina, eles eram moradores de Alto Piquiri, que fica no Noroeste do Paraná.

Com informação da Catve

TOPO