Ortocolchões
covid pato
Visual Modas Store Inauguração
COVID-19
Banner Yamaha
Cotidiano

O mercado do boi e suas variáveis

A instabilidade de preço no mercado de bovinos de corte apresenta mais uma variável: o mercado de reposição do desmame para a demanda dos terminadores, em confinamento ou em pasto.

 

O preço do boi gordo, chegando aos patamares de R$ 295 o arroba, reflete no mercado do desmama, tanto no macho quanto na fêmea, com valores nunca vistos nessa categoria: machos desmamados de cruzamento industrial comercializado a R$16 reais, o quilo de peso vivo; e fêmeas a R$13 reais.

 

 

 

Um mercado de alto risco, devido a necessidade de grande investimento nesse setor, que depende da estabilização dos insumos, para alimentação animal, e o poder de compra dos consumidores.

 

 

Com o aumento de quase 100% no preço da carne bovina, desde novembro de 2019, os churrascos de fim de semana sofreram algumas mudanças.

 

 

As churrasqueiras cheias, com variedades de cortes, hoje assam só o necessário para a demanda do almoço, com menos opções e com substituições, por exemplo, frango e suíno.

 

Com a estabilização dos valores da soja e do milho, que são a base da alimentação animal, e também da demanda de exportação de carne, os preços devem se manter elevados ao consumidor, no entanto, não devem sofrer aumento.

 

 

O valor chegou ao limite do poder de compra da população, que passa por uma crise econômica.

 

 

 

A previsão é de que os preços se estabilizem, com a probabilidade de uma pequena queda, considerando a entrada de bois de pastagem de verão para o abate, até o final de março. Porém, em um mercado tão globalizado, toda estimativa tem sido uma incógnita.

Adriano Ramos Cardoso / Revisão Angélica Strapasson

TOPO