Bike Refran
Ortocolchões
Sandras Publi
Casa da cuca
JR color
Banner Yamaha
FarmaVidda
Cotidiano

Pai e filho salvam dois homens e uma mulher que se afogavam em Morretes

Dois homens e uma mulher da mesma família, todos moradores de Curitiba, estavam no Rio Nhundiaquara, em um local conhecido como curva do Tombo dÁgua, no município de Morretes, no Litoral do Paraná, quando começaram a se afogar, no começo da tarde de segunda-feira (30).

As três vítimas foram resgatadas por um pedreiro e o filho, que trabalhavam em uma chácara, na Estrada da Graciosa, quando ouviram gritos de socorro.

Em entrevista à Banda B, Adilson Wolcher conta como percebeu que as vítimas precisavam de ajuda. “Vi o pessoal se afogando e gritando por ajuda. Me apavorei, mas fui salvá-los”, disse. “Foi muito emocionante, pois você salvar a vida de pessoas que passam por um momento de quase morte não é algo que acontece todo dia”, admitiu.

O Corpo de Bombeiros precisou de ajuda aérea para transportar as vítimas, segundo o que disse a tenente Turra à reportagem. “Realizamos o atendimento a dois homens, que precisaram ser levado ao Hospital de Morretes”, disse.

Um dia, no entanto, que também expõe a falta de segurança para banho na região. A professora aposentada Maria Rios reclama da falta de fiscalização no local. “Eu frequento esse bairro há 32 anos e, no começo, nós tínhamos guarita de bombeiros e foi tirada. Morre muita gente aqui, a infraestrutura deveria existir”, lamentou a moradora. Ela também classifica a cidade de Morretes de uma forma que causa apreensão. “Parece uma cidade sem lei”, acrescentou.

Sobre as reclamações da insegurança para banho, a tenente Turra do Corpo de Bombeiros explica que no local a indicação é não entrar na água. “Não colocamos guarda-vidas lá porque não é um lugar para banho. Essa prática é totalmente contra-indicada. há placas no local que sinalizam isso”, completa.

Foto: Divulgação Corpo de Bombeiros /Banda B

Com informação da Banda B

TOPO