Dengue Pato
Bike Refran
Prefeitura de Mercedes
Ortocolchões
Sandras Publi
Família Acolhedora
Dengue antes
Casa da cuca
IPTU
Banner Yamaha
FarmaVidda
Cotidiano

Pandemia derruba fluxo de passageiros em Foz do Iguaçu

A redução da circulação de pessoas provocada pela pandemia da covid-19 no país refletiu no fluxo de passageiros no aeroporto e na rodoviária de Foz do Iguaçu.  No Aeroporto, o movimento caiu 97,44% em maio e 99,71% em abril. Na rodoviária, o fluxo diminuiu 97% em abril e 85% em maio (ambos os casos, embarques e desembarques em comparativo aos mesmos meses de ano passado).

Em maio deste ano, passaram pelo aeroporto 3.740 passageiros contra 146.113 em maio de 2019. Em abril deste ano, o terminal recebeu 494 passageiros, um total discrepante dos 167.474 registrados em abril do ano passado. A movimentação de aeronaves também segue em ritmo de queda, pois foram 138 pousos e decolagens em maio deste ano contra 1.469 no mesmo mês de 2019.

O terminal aeroportuário, que vinha acumulando recorde no número de passageiros nos últimos anos, foi fechado no dia 14 de abril em razão da pandemia e voltou a operar em 4 de maio com um voo da companhia aérea Azul. Em 2019, passaram pelo aeroporto cerca de 2,5 milhões de passageiros, entre embarques e desembarques.

No início deste ano, antes da pandemia, o aeroporto recebia em média 27 voos diários. Hoje, a movimentação se limita a três. Além da Azul, que oferece voos entre segunda e sexta, as companhias Gol e Latam voltaram a operar na cidade.

A Gol, desde 24 de maio, oferece voos partindo de São Paulo diariamente. A Latam, desde 15 de junho, também faz a conexão com São Paulo na sexta, domingo e segunda. Algumas linhas passam por Curitiba. A partir de julho, está prevista a volta de seis voos semanais para o Rio de Janeiro.

Terminal rodoviário

A rodoviária fechou no dia 23 de março e retomou as atividades no dia 24 de abril. A maioria dos ônibus que chega ao local é do próprio Paraná e sai de Londrina, Cascavel, Curitiba e Maringá. Há também linhas curtas partindo de São Miguel, Medianeira, Missal e Santa Helena.

Nem todas as linhas estão operando, até porque há estados que proíbem a entrada e saída de ônibus, diz o gerente do terminal de Foz, Edilson da Silva. Entre as linhas interrompidas estão as que fazem Florianópolis, Itajaí e Joinville, em Santa Catarina. Para o Rio Grande do Sul apenas uma empresa está em atividade.

Com a movimentação pequena, o impacto financeiro na rodoviária é proporcional à redução de passageiros, explica Silva. Segundo ele, isso se deve à queda na receita arrecadada com a taxa de embarque e aos descontos nos valores de aluguéis no terminal concedidos desde março e que se estenderão até julho

Protocolos de segurança

Medidas de segurança sanitária foram adotadas no aeroporto e na rodoviária. No aeroporto, todos os passageiros que embarcam e desembarcam passam pela medição de temperatura feita pela Secretaria Municipal de Saúde. Adesivos de sinalização foram colocados no terminal para orientar o fluxo de pessoas. A lanchonete está funcionando apenas em horários de voos, e a limpeza em áreas comuns foi intensificada.

Na rodoviária, os passageiros também são submetidos à medição de temperatura no embarque e desembarque. Em todas as entradas há tapetes para desinfecção de sapatos e álcool gel disponível.

Infográficos evidenciam queda no movimento

Com informações: Portal H2FOZ

TOPO