Policial Marechal

Marechal Rondon: réu julgado por homicídio em Margarida é condenado e preso

O réu foi condenado a 16 anos 07 meses e 15 dias e considerando o risco de fugir novamente, o juiz decretou o cumprimento da pena em regime fechado, determinando portanto a imediata expedição do mandado de prisão.

14/05/2022 07h34
Por: Marcio Cerny Fonte: Com informação MCR News
Marechal Rondon: réu julgado por homicídio em Margarida é condenado e preso

O réu julgado ontem (13/05)  pelo Tribunal  Popular do  Juri de Marechal Cândido Rondon, que até então respondia pelo crime de homicídio em liberdade,  foi condenado e preso.

         Jacson Marcelo Kapchak, de 33 anos , em 21 de dezembro de 2013,  por volta das 22 horas e 30 minutos, nas dependências de uma  Lanchonete, na Avenida Prata, em Margarida, empunhando uma arma de fogo, efetuou disparos contra  Valdir Roque Lange.

         Três  tiros atingiram a vitima, que morreu  em decorrência de  anemia aguda por hemorragia provocada por instrumento pérfuro  contundente.

         Na denuncia o Ministério Público sustenta que o réu Jacson Kapchak cometeu o crime por motivo fútil e   mediante recursos que dificultaram  a defesa da vitima, na medida em que aproveitou o fato de  Valdir Roque Lange estar sentado e de costas para a rua.

         Contra o réu também pesou o fato de fazer  os disparos contra a  vitima em local onde se encontravam diversas outras pessoas, duas das quais, que nada tinham a ver com a situação, resultaram com ferimentos.

         O motivo fútil para o crime se refere a um desentendimento financeiro de alguns anos atrás entre a vitima e os pais do réu.

         No texto da sentença lida ao final da sessão, o juiz  Dionísio Lobchenko Junior menciona o fato de, após o crime, Jacson Marcelo Kapchak  “ permaneceu  foragido   até o dia 24 outubro de 2017,  ou seja, por mais de 05 anos,  morando na cidade de Catuetê, no Paraguai, trabalhando em construção civil.”

         O réu foi condenado a 16 anos 07 meses e 15 dias e considerando o risco de fugir novamente, o juiz decretou o cumprimento da pena em regime fechado, determinando portanto a imediata expedição do mandado de prisão.

         O advogado de defesa, Antonio Marcos de Aguiar, informou que, considerando os entendimentos da jurisprudência dominante e levando em conta o tempo de prisão decretado, impetrará na próxima semana uma pedido de habeas corpus, para que seu cliente possa cumprir a pena em regime semiaberto.   

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.