Geral Marechal

Coetran delibera sobre retirada de lombadas em avenida de Marechal Rondon

Pauta também foi contemplada pela nova lei dos táxis

24/06/2022 08h30 Atualizada há 2 dias
Por: Marcio Cerny
Coetran delibera sobre retirada de lombadas em avenida de Marechal Rondon

Membros do Coetran (Conselho Executivo de Trânsito) de Marechal Cândido Rondon estiveram reunidos, na tarde de quinta-feira (23), para debater questões relacionadas ao trânsito rondonense. A reunião ocorreu no auditório da prefeitura.

O secretário municipal de Mobilidade, coronel Welyngton Alves da Rosa, expôs as indicações dos vereadores nas sessões da Câmara, bem como solicitações da comunidade. Em continuidade, foram apresentados os novos membros do Coetran: Guilherme de Lima, do Corpo de Bombeiros; Edson Trombella, da PRE; Pedro Henrique Haag, da Polícia Civil; e Paulo Rodrigo Coppetti, da Acimacar.

 

Lombadas

Tema central da deliberação, os integrantes do Coetran aprovaram a retirada de algumas lombadas da Avenida Rio Grande do Sul. As lombadas a serem removidas estão situadas nos seguintes pontos: proximidades do Supermercado Copagril II; cadeia pública do Depen, nos dois lados; em frente à FIAT, nos dois lados; Cemitério Municipal; e perto da rotatória com a rua Cabral.

A definição do Coetran é que a Secretaria de Mobilidade elabore um documento e em seguida encaminhe à pasta responsável, no caso a Secretaria de Infraestrutura.

 

Táxis

Outro assunto tratado na reunião está ligado à Lei nº 5.346, de 06 de junho de 2022, que versa sobre atender o transporte individual de passageiros em veículos de aluguel, o qual se dará através do sistema rotativo. A pasta observou que os pontos de estacionamentos são fixados pela prefeitura, tendo em vista o interesse público, com número de ordem e quantidade máxima de veículos aptos a ocupar os espaços.

A definição é de que os pontos serão livres, e estarão destinados à utilização por qualquer táxi, observada a quantidade máxima de vagas fixadas. “Ao todo serão 18 pontos fixos e 6 temporários, com capacidade para até 25 taxistas. Para atuar, é necessário o Cartão de Regularidade de Condutor de Táxi, alvará de licença, ter participado do curso de taxista, apresentar declarações negativas de antecedentes criminais e documentação exigida”, frisa o coronel Welyngton.

Vale ressaltar que os condutores de táxi que já trabalham nos diversos pontos, terão seus direitos garantidos, devendo apenas legalizar sua situação junto à prefeitura dentro de 180 dias. O serviço de taxista será através de termo de autorização por 15 anos, prorrogável por mais 15 anos, em consonância com as diretrizes da Lei e dos decretos que estão sendo editados.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.