Brasil São Paulo

Governo de SP multa Bolsonaro e 13 apoiadores em ato na Avenida Paulista

Agentes da Vigilância Sanitária Estadual atuaram as autoridades por não utilizarem máscara na manifestação

08/09/2021 14h09
Por: Marcio Cerny Fonte: Cultura
Foto: Palácio do Planalto
Foto: Palácio do Planalto

A Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo informou, na noite desta terça-feira (7), que autuou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e 13 dos seus apoiadores por não terem utilizado máscara facial no ato realizado na Avenida Paulista, onde cerca de 125 mil pessoas se reuniram para criticar o Supremo Tribunal Federal (STF) e comemorar o Dia da Independência do Brasil.



Além do presidente, foram multados Tarcísio Gomes de Freitas (ministro da Infraestrutura), Mário Frias e André Porciuncula (secretário e subsecretário da Cultura), Carla Zambelli (deputada federal - SP), Marcio Labre (deputado federal - RJ), General Girão Monteiro (deputado federal - RN), Marco Feliciano (deputado federal - SP), Danilo Balas (deputado estadual - SP), Suellen Rosim (prefeita de Bauru), Luciano Hang (empresário), Magno Malta (pastor), Silas Malafaia (pastor) e Netinho (cantor).



Segundo o governo estadual, Bolsonaro infringiu a lei federal n° 14.019 de 2020, que torna obrigatório o uso de máscaras em evento público, e a lei estadual n° 6.437 de 1977, que prevê multa de até R$ 1,5 milhão para infrações sanitárias consideradas gravíssimas.



Esta é a sétima multa aplicada ao presidente em São Paulo por violar regras sanitárias desde o início da pandemia.

 

As outras autuações ocorreram nos dias 12 de junho (na capital), 25 de junho (em Sorocaba), 31 de julho (em Presidente Prudente) e 20 de agosto (em Iporanga e Eldorado, no Vale do Ribeira).



Segundo o governo de João Doria (PSDB), os valores exatos estabelecidos para as multas serão definidos pela Justiça e podem chegar a R$ 4,5 milhões.

 

Bolsonaro recorreu das outras autuações aplicadas pela Vigilância Sanitária de São Paulo.



"Esgotados os recursos das multas, o presidente deverá pagar os respectivos valores ou poderá ter o nome incluído na dívida ativa do Estado e no Serasa", afirmou o comunicado do órgão estadual.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.