Geral Região Oeste

Empreendedor, menino de Santa Izabel do Oeste vira exemplo de persistência

Pedro Henrique ganhou apoio nas redes sociais após pais serem denunciados por exploração de trabalho infantil

26/11/2021 04h34
Por: Marcio Cerny Fonte: Catve
Foto: Catve
Foto: Catve

O pequeno Pedro Henrique Toledo Beltrame, morador de Santa Izabel do Oeste, no Sudoeste do Paraná, tem o sonho de comprar um computador com o próprio dinheiro. Para isso, com ajuda dos pais, ele passou a vender pés de moleque na cidade. O sucesso das vendas foi tão grande que moradores da vizinha Realeza também demostraram interesse nos doces.

Mas a breve carreira de empreendedor de Pedro já encontrou os primeiros obstáculos, após os pais serem denunciados por suposta exploração de trabalho infantil. Apesar disso, Ana Karina Toledo e Daniel Beltrame garantem que vão continuar impulsionando o filho para que ele possa alcançar o que tanto almeja.

Em uma transmissão ao vivo em sua página no Instagram, Ana Karina, mãe de Pedro, agradeceu às mensagens de apoio que tem recebido nas redes sociais. Segundo ela, as pedras colocadas no caminho servirão de degrau para que o filho continue a subir e realizar seus sonhos.

COMO COMEÇOU O PROJETO
Pedro conta que seu sonho é ter um computador. Entretanto, ele quer comprá-lo com o próprio dinheiro. Seguindo os exemplos de empreendedorismo em casa, ele pediu para que a mãe fizesse trufas para que ele vendesse nas horas vagas. Karina, então, sugeriu a produção de pés de moleque.

"Esse projeto nasceu essa semana. Foi muito rápido que tudo aconteceu. Eu também tenho muito orgulho do Pedro. Ele é empreendedor nato, ele se 'vira'. A gente colocou tudo isso no papel e começamos fazendo duas receitas, um investimento de R$ 36. Um ato que eu fiz e o Daniel apoio para que a gente apoiasse ele, a dar valor para as coisas, ter o próprio capital", conta a mãe.

As vendas ganharam tamanha proporção que moradores de Realeza também pediram pelos doces. Mas, após o primeiro dia de vendas, Ana Karina foi chamada a comparecer em um órgão municipal para esclarecer sobre denúncias de exploração de trabalho infantil.

"Fui lá e chorei da minha chegada até o fim, porque, para uma mãe, não é simples saber que o sonho do seu filho pode estar sendo apedrejado por alguém. Como pai e mãe, só quero dizer que estas pedras que colocaram no caminho só fez como se isso fosse uma escada e agora a gente está usando como degrau para subir mais ainda", ressalta ela.

Segundo Ana Karina, toda a situação só serviu de combustível e que o projeto do filho vai continuar. "Quero dizer para vocês que esse degrau não será so pelo Pedro. Será por todas as crianças sonhadoras que desejam empreender nesse mundo. É por todas as crianças que sonham, que são dignas, que têm integridade, respeito, amor pelo próximo, a partir de hoje, essa vai ser a minha luta", afirma.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.