Ataques a tiros em 2 estados deixam 6 mortos nos EUA

Dois tiroteios em estados diferentes dos Estados Unidos, Wisconsin e Texas, deixaram ao menos 6 mortos no domingo (18). Não há relação entre os casos.
Os casos são:
 

Kenosha (em Wisconsin), com 3 mortos após uma briga de bar
Austin (no Texas), com 3 mortos próximos a um centro comercial
 
O primeiro aconteceu durante a madrugada em um bar no Condado de Kenosha, em Wisconsin. Três pessoas morreram e duas ficaram gravemente feridas.


A polícia local informou que um homem atirou nas pessoas que estavam nesse bar depois de ser convidado a deixar o local. O atirador fugiu e ainda não foi localizado.
 

 

O segundo tiroteiro aconteceu em Austin, no Texas, próximo a um prédio de escritórios e resultou em três mortes, duas mulheres hispânicas e um homem negro, de acordo com a Associated Press. A polícia de Austin apontou Stephen Broderick, de 41 anos, como autor dos disparos.
Segundo a Reuters, a imprensa local informou que um detetive com o mesmo nome do suspeito foi afastado dos seus serviços ano passado após ser acusado de abuso sexual infantil.
"Temos informações preliminares de que ele possa ser um ex-agente da lei , mas não tenho isso confirmado neste momento", afirmou o chefe de polícia responsável pelo caso, Joseph Chacon, à Reuters.
 
Em coletiva de imprensa, no início da noite deste domingo, o chefe do Departamento de Polícia de Austin, Joseph Chacon, declarou acreditar se tratar de um incidente doméstico e que todas as vítimas eram conhecidas do suspeito.
De acordo com o policial, há uma criança envolvida na ocorrência, porém ela já está a salvo.
Após intensa procura pelo atirador na região, a polícia liberou os moradores a voltarem a saírem de suas casas, porém mantendo-se atentos. As buscas continuarão e algumas estradas e rodovias permanecerão fechadas.
O FBI, que também participou da coletiva, reforçou se tratar de uma ocorrência local, e não nacional, e que as buscas serão intensas e "agressivas", para evitar que haja mais vítimas. Segundo a organização, 75 agentes estão atuando no caso.
 

Onda de violência nos EUA
 
Em um mês, entre 16 de março e 17 de abril, foram registrados sete tiroteios em sete cidades diferentes nos Estados Unidos. Na soma, 41 pessoas foram mortas.
Eleito no fim do ano passado, o presidente americano, Joe Biden, quer restringir o acesso a armas.
Ele anunciou medidas para tentar controlar o que chamou de "epidemia de violência com armas de fogo" no país.
Biden quer dificultar o acesso às "armas fantasmas", que podem ser montadas em casa e não têm número de rastreio.
“A violência com armas de fogo neste país é uma epidemia. E é uma vergonha internacional", afirmou Biden.

Com informação do G1

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!