Atlético-MG vence o Boa após erro do árbitro e garante melhor campanha no Mineiro

Um pênalti anotado em falta fora da área no fim do jogo garantiu ao Atlético-MG a liderança geral da primeira fase do Campeonato Mineiro, com uma rodada de antecedência. O erro da arbitragem definiu a virada sobre o Boa, que acabou rebaixado com a derrota por 2 a 1, no Mineirão.

 
Com 24 pontos, o líder não pode mais ser alcançado pelo América, em segundo, com cinco pontos a menos. Cuca, portanto, deve dar descanso aos titulares diante do Athletic. Apesar de cumprir a meta de voltar a vencer, o problema no Atlético-MG ainda é a falta de um futebol vistoso e envolvente que desapareceu nas últimas rodadas e preocupa antes de estreia na Libertadores, quarta-feira, na casa do Deportivo La Guaira.  
  
 
 
Falta capricho na finalização do Atlético e mais calma na criação. Foram muitos erros de passes no Mineirão e uma demonstração grande de nervosismo diante do um rival postado defensivamente.

Depois da inesperada derrota no clássico diante do Cruzeiro, por 1 a 0, há uma semana, o técnico Cuca prometia um Atlético-MG diferente, pronto para mostrar organização e força no retorno ao Mineirão. Sem Hulk, nas arquibancadas cumprindo suspensão por expulsão. Um triunfo confirmaria a primeira colocação, mas o oponente prometia dificultar as ações americanas e lutar para seguir vivo na luta contra a queda.

 
E o início da partida mostrou que nada seria fácil para os comandados de Cuca. Com um paredão defensivo, o Boa não deixava a bola chegar ao goleiro Carlos Miguel. Com até os defensores Réver e Alonso o tempo todo na área rival, o Atlético esbarrava numa parede vermelha. Era jogo de um campo só.

Mas o que estava ruim, sem chances claras de gol, ficou ainda mais tenso numa arrancada rápida do time de Varginha. Após um toque de mão não marcado, Dieguinho partiu em velocidade e bateu para o gol, carimbando a trave. A bola voltou nas costas de Everson e sobrou livre para Tiaguinho colocar os visitantes na frente.

A reação seria imediata, mas Vargas estava impedido no belo gol de bicicleta. O chileno não falharia na segunda chance, aproveitando desvio de Alonso. A quem imaginava um primeiro tempo arrasador, o 1 a 1 no intervalo era frustrante.

 
Cuca ousou ao trocar um zagueiro por um meia-atacante. E nada de o futebol do time aparecer. Sobravam peças ofensivas em campo e faltavam o lance individual ou as tramas com maior velocidade.

Mesmo sendo rebaixado com a igualdade, o Boa não saia de trás. E mostrava enorme nervosismo. Companheiros, o zagueiro André Penalva trocou insultos e empurrões com o goleiro Carlos Miguel.

Autor do gol de empate, Vargas perdeu clara chance na etapa final. Irritou Cuca, que o substituiu, repetindo a mudança no clássico. O chileno começa a correr riscos de perder vaga entre os titulares. Jogando mal, abre possibilidade para Hulk voltar à equipe.

 
O Atlético-MG aplicou uma enorme blitz nos minutos finais, já com Sasha, Marrony e Nathan na frente. A bola teimava em não entrar, ora passando raspando, ora parando em defesa de Carlos Miguel. Até a arbitragem se equivocar e marcar pênalti em uma falta fora da área. Guilherme Arana definiu a sofrida virada.

com informação Agência Estado

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!