Casos de dengue sobe para seis em Quatro Pontes

O número de casos positivos de dengue teve aumento em Quatro Pontes, passando de dois para seis. O boletim, atualizado pelo Setor de Epidemiologia, também registra 32 pessoas notificadas, 11 no aguardo de resultado de exames, três em investigação e 15 descartados. Os dados são de ontem (06).

O mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti, se prolifera quando a fêmea do mosquito deposita seus ovos em recipientes com água parada, como nos pratinhos de vasos de plantas, caixas d’água e reservatórios destampados, garrafas plásticas, calhas, baldes com água de chuva, entre outros, explica o secretário de Saúde, Marco Antônio Wickert. “Há tempo reforçamos a população que a principal medida de prevenção é a eliminação dos pontos que podem acumular ou empoçar água e se transformar em criadouros do mosquito. O cenário da pandemia do novo coronavírus já é preocupante e precisamos evitar a presença de mais um agravante, caso da dengue. É muito mais fácil controlar a dengue, mas todos precisam colaborar, acabando com os focos do mosquito nos ambientes domésticos, principalmente”, aponta. 

No final do mês passado, a Secretaria de Saúde, por meio do Setor de Controle de Endemias, e a Secretaria de Obras, Urbanismo e Transportes promoveram um arrastão contra a dengue envolvendo vários servidores no trabalho de coleta. O resultado foi o recolhimento de 15 cargas de materiais inservíveis com caminhão caçamba e veículo Strada. Na última semana, por sua vez, foi realizada ação de bloqueio em vários pontos da cidade através de UBV Costal para o controle do mosquito.

As agentes de endemias, Daiane Schroder e Marciane Kollett, também alertam sobre os cuidados diários em quintal e terrenos baldios, pois muitos focos e larvas continuam sendo encontrados. “Também pedimos aos construtores que sempre verifiquem se há água parada em vasilhames, utensílios, tambores e/ou betoneiras e os mantenham virados, sobretudo se ficarem por dias sem uso. Nas obras em fase de acabamento, é necessário tampar todos os ralos. Restos de embalagens, como baldes de massa corrida, plásticos e sacos de cimento, devem ser eliminados, pois todos servem de criadouros. Além disso, restos de comida em marmitas devem ser separados e destinados ao lixo comum”, orientam. 

 

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!