Em busca de popularidade, clubes reforçam elencos com celebridades digitais

Eles não foram contratados para fazer o gol do título, muito menos para defender um pênalti decisivo. Ainda assim, fortalecem os times sem entrar em campo. Contratados e registrados como jogadores profissionais, os influenciadores digitais viraram a aposta de algumas equipes para reforçarem os elencos. O número de seguidores em redes sociais, a popularidade com os jovens e a exposição do time fazem essas reforços encherem os dirigentes de orgulho.

 
Três dos principais Estaduais do País (Paulistão, Carioca e Gaúcho) têm clubes que contrataram estrelas da internet. Mas é para jogar? Não necessariamente. Nenhum deles estreou até agora, mas todos treinam com os times diariamente.

O caso mais famoso é do Resende-RJ. O time inscreveu no Campeonato Carioca o Cartolouco, apelido do jornalista Lucas Strabko. Ex-apresentador do SporTV e participante da última edição do reality show A Fazenda, da TV Record, ele tem mais de 800 mil seguidores no Instagram.

No Rio Grande do Sul, o São José conta com o jornalista Duda Garbi. Com longa experiência em televisão, ele tem quase 400 mil seguidores no Instagram e fez o clube quebrar um recorde. “Minha camisa (número 37) vendeu mais de 60 unidades em três dias. O time não vendeu nem perto disso o ano passado inteiro”, contou.

 
O São Bento trouxe Juninho Manella para um período de testes. Ex-jogador de futsal, ele tem mais de 6 milhões de inscritos no YouTube e mais outros 2 milhões de fãs no Instagram. Filho do técnico do time, Edson Vieira, a celebridade ainda aguarda chance e não tem contrato assinado. “O Juninho ainda apresenta algumas deficiências técnicas. Mas está treinando e evoluindo. Sou exigente”, explicou o pai e treinador.

Os casos de Cartolouco, Duda e Juninho têm em comum o plano dos clubes de adquirirem mais visibilidade. Os três estão como jogadores enquanto participam ativamente da produção de conteúdo para redes sociais. Vídeos com bastidores, imagens dos treinos e depoimentos são produzidos com o apoio de equipes de filmagem e têm gerado grande repercussão.

 
O Resende comemora o efeito da chegada de Cartolouco. O clube praticamente triplicou o número de seguidores enquanto cada vídeo dele alcança quase 1 milhão de visualizações no YouTube. A contratação teve o aval da comissão técnica e até do Lyon, da França, parceiro do clube.

A iniciativa veio do diretor de marketing do Resende, Marcelo Montenegro. Tudo começou com a vontade de valorizar o nome da Academia Pelé, nome do centro de treinamento do time. “A nossa ideia é rejuvenescer a marca Pelé e passar para as novas gerações”, explicou ao Estadão.

Cartolouco mostra nos vídeos situações curiosas. Trabalhou de roupeiro, gandula e buscou as pizzas servidas no jantar dos colegas após as partidas. “Quero mostrar para todos que o jogo começa pelas mãos do roupeiro, pela dedicação de uma tia que ajuda a servir o almoço no dia a dia até chegar nos jogadores. E quando tiver a oportunidade eu vou colocar bola na rede mesmo e ajudar com gols. A quem se incomodar com minha presença, sugiro conhecer mais sobre o meu trabalho e entender a minha missão aqui”, disse. Ele recebe R$ 1,2 mil por mês, mas decidiu doar o salário para um projeto de caridade.

 
A repercussão faz o influenciador se transformar em um reforço desejado. Orgulhoso da fama de pior time do mundo, o Íbis-PE tenta aproveitar o sucesso do Resende. A equipe nordestina vai disputar em setembro a segunda divisão Estadual e quer Cartolouco, que brincou com o convite. “Estou 100% focado no Resende. Amo jogar no clube. O elenco me recebeu bem demais. Lembrando: minha multa para sair do Resende é de R$ 1 mil. Mas minha saída não tem preço”, afirmou.

O São Bento contratou Juninho Manella ainda em dezembro. Uma das inspirações veio da iniciativa do Audax, de Osasco (SP), no ano passado. A equipe presidida pelo ex-meia Vampeta chegou a fechar com o cantor de funk MC Livinho. Dias depois, porém, o acordo foi desfeito.

Com Juninho, o São Bento contabiliza bons números. Os vídeos do clube alcançaram 7 milhões de visualizações. “As redes sociais dobraram o volume de seguidores. As crianças estão conhecendo o São Bento melhor, o que é importante para atingirmos o público jovem”, afirmou o diretor administrativo do clube, Juliano Amorim. “O Juninho tem qualidade, sabe bater na bola e atuou no futsal. Só que o processo de um amador para virar profissional é longo”, acrescentou.

ELOGIOS – Em Porto Alegre, Duda Garbi e São José se uniram graças à iniciativa do mais novo jogador. O jornalista apresentou a proposta de fazer uma série de sete episódios para mostrar os bastidores. Logo depois, o contrato de três meses foi assinado.

 
O reforço do time recebeu mensagens de apoio de nomes famosos, entre eles Douglas Costa e Alisson Becker. “Os jogadores sabem que faço um trabalho sério. Não estou roubando o lugar de ninguém”, disse Duda, que abriu mão de receber salário. Em uma semana, os vídeos dele bateram 135 mil visualizações mesmo sem campanhas de impulsionamento.

Para influenciadores e clubes, o futebol não se mede só por cifras ou gols. Curtidas, visualizações e engajamento nas redes sociais também são números que importam.

com informação Agência Estado

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!