Em má fase, Santos empata com Bragantino e tem situação complicada no Paulistão

Em má fase, sem técnico e com intensa insatisfação de sua torcida, o Santos veio a campo pelo Campeonato Paulista no sábado (01), diante do Red Bull Bragantino com um caráter psicossomático. Os problemas de fora pareciam estar rondando e afetando o rendimento dos jogadores, que viram os adversários dominarem praticamente todo o primeiro tempo.

 
A má atuação foi compensada com um gol achado no embalo do começo do segundo tempo, mas nada que fizesse com que o Santos voltasse a vencer depois de quatro jogos sem vitória. Resultado: 1 a 1, no estádio Nabi Ani Chedid, em Bragança Paulista (SP), faltando apenas duas rodadas para o final da primeira fase. 


 
 
Com mais um tropeço no torneio, o Santos está em situação complicada para passar às quartas de final do Paulistão. Em terceiro lugar no Grupo D, a equipe da Baixada Santista tem 10 pontos e está atrás de Mirassol, com 17, e Guarani, com 11.

 
Os concorrentes diretos ainda jogarão neste domingo pela mesma rodada, o que pode deixar o contexto do Santos no Estadual mais preocupante ainda em caso de vitória dos rivais.

O Red Bull Bragantino, dono de uma das melhores campanhas e agora classificado matematicamente às quartas de final, se impôs logo no começo. O time do interior paulista mostrava bom entrosamento, com passes que envolviam a equipe do Santos, que dificilmente conseguia a bola de forma fácil.

Foi desse jeito que os donos da casa fizeram, aos seis minutos iniciais, uma linda jogada em equipe, que terminou nos pés de Claudinho. O meia deu passe para o atacante Ytalo ficar de frente para o goleiro João Paulo, que saiu bem e fez ótima defesa.

 
O Santos penava em criar boas jogadas. Chegou algumas vezes ao ataque, com Gabriel Pirani e Marinho, mas sem grandes sustos para o goleiro Cleiton. Quem se destacava muito era o camisa 10 do Red Bull Bragantino, que distribuía bons passes e era o centro de quase todas as jogadas.

Tanto era que o primeiro gol veio dos pés dele. Aos 25 minutos, Pará saiu jogando errado do campo de defesa, a bola sobrou para Pedrinho, que encontrou Claudinho. O meia do Red Bull Bragantino bateu forte de primeira e, em um desvio em Luan Peres, matou a jogada e qualquer chance de João Paulo chegar na bola. 1 a 0 para os anfitriões.

 
A liberdade de Claudinho na partida dava o tom do jogo, que estava muito mais para o Red Bull Bragantino, que perdeu boas oportunidades, do que para o Santos, com dificuldades para chegar bem ao ataque.

Mesmo sem mexer na equipe, o técnico interino do Santos, Marcelo Fernandes, parece ter dado um chacoalhão no time, que voltou pilhado para o segundo tempo. Logo no primeiro minuto, Marinho fez lançamento para Lucas Braga, que concluiu a jogada em uma finalização perfeita, no alto do gol, sem chances para Cleiton. Até então, o Santos não fazia um gol havia quatro jogos.

O segundo tempo já era bem mais equilibrado do que o primeiro, com jogadas de ambos os lados e um pouco mais dinâmico. Teve até a virada do Santos, mas o VAR anulou o que seria um golaço de Jean Mota por causa de impedimento de Marinho.

Não que o Santos passasse a apresentar um bom futebol, mas a queda de desempenho do Red Bull Bragantino ficou bem nítida, o que deu mais liberdade para a equipe da Baixada Santista criar mais jogadas e tentar a virada. Não aconteceu.

Com o empate, o Santos já está há cinco jogos sem vencer, contando também as partidas da Copa Libertadores, e ainda não definiu um novo técnico depois da saída do argentino Ariel Holan.

 
FICHA TÉCNICA

RED BULL BRAGANTINO 1 x 1 SANTOS

RED BULL BRAGANTINO – Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Fabrício Bruno e Edimar; Ryller (Ramires), Lucas Evangelista e Claudinho; Artur, Pedrinho (Cuello) e Ytalo (Luis Phelipe). Técnico: Maurício Barbieri.

SANTOS – João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Jean Mota (Vinicius Balieiro) e Gabriel Pirani (Lucas Lourenço); Marinho; Marcos Leonardo (Allanzinho) e Lucas Braga. Técnico: Marcelo Fernandes (interino).

GOLS – Claudinho, aos 25 minutos do primeiro tempo; Lucas Braga, a 1 minuto do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Aderlan, Ryller e Cuello (Red Bull Bragantino); Pará e Lucas Braga (Santos).

ÁRBITRO – Douglas Marques das Flores.

RENDA E PÚBLICO – Jogo com portões fechados.

LOCAL – Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP).

 

com informação Agência Estado

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!