Escola Municipal Marechal Deodoro completa o primeiro mês de ensino híbrido

O modelo híbrido de ensino que contempla aulas presenciais e remotas (apostilamento), e implantado por força da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), na Escola Municipal Marechal Deodoro de Pato Bragado, completa, hoje (09), seu primeiro mês. 

A modalidade de aprendizagem foi aplicada inicialmente aos alunos das turmas do terceiro ao quinto ano e agora já ocorre também com estudantes do primeiro e segundo ano do ensino fundamental.
Dessas turmas, 50% e até 30% do total de estudantes, cujos pais assinaram o termo de compromisso, com várias medidas preventivas à Covid-19, estão participando das aulas.  

TRABALHO DOS PROFESSORES
De acordo com o secretário de Educação e Cultura, Júnior Ivan Bourscheid, a aplicação do modelo híbrido está sendo possível graças aos esforços dos professores, que assumiram a responsabilidade de continuar produzindo os materiais necessários para o atendimento remoto, junto com as aulas presenciais. “Vários desafios foram surgindo neste primeiro mês e continuarão surgindo ao longo do ano letivo, mas a dedicação do magistério municipal em fornecer um ensino de qualidade – mesmo com todas as restrições que a pandemia impõe – é um elemento de destaque”, declara. Salienta também que é preciso valorizar o esforço coletivo feito no âmbito da educação municipal, dos professores, zeladoras e servidores técnico-administrativos, para que os estudantes possam estar retornando aos educandários.

PROTOCOLOS DE SEGURANÇA
Nesse sentido, o educandário tem respeitado e seguidos todos protocolos de segurança estabelecidos.
Segundo o secretário, as carteiras foram distanciadas, é aferida a temperatura e disponibilizado álcool em gel na entrada do educandário, assim como nas salas de aula e é obrigatório o uso de máscaras. 
Cita ainda que as atividades esportivas e recreativas, estão ocorrendo de forma individualizada, não havendo intervalo para brincadeiras no pátio e o lanche ocorre no refeitório, com apenas duas crianças por mesa. 

RESPONSABILIDADE DAS FAMÍLIAS
O secretário chama a atenção também às responsabilidades das famílias frente ao ensino híbrido e pede que as apostilas sejam devolvidas e retiradas no prazo estabelecido para que o aluno não fique com faltas e sem notas no período. Outro ponto apontado por Bourscheid, se refere a responsabilidade dos pais ou responsáveis em auxiliar os filhos no desenvolvimento das atividades remotas, mas isso não significa que possam fazer por eles, o que já foi observado, inclusive e os pais foram advertidos. 
Do mesmo modo também informa às famílias que saem em viagem no período letivo, inclusive finais de semana para que compareçam na coordenação para realizar o registro em ata da saída e ao retornar, devem permanecer por cinco dias com o filho em casa. “Além disso devem combinar as tarefas e avaliações com o professor de turma”, frisa Bourscheid.
Por fim o gestor pede a colaboração dos pais para que não encaminhem para a escola os filhos com sintomas como dor de cabeça, dor de garganta, diarreia, febre, coriza ou tosse, mas que informem por meio do número (45) 3282-1839.

EDUCAÇÃO INFANTIL E EJA
A educação infantil segue, por enquanto, com modelo remoto (apostilamento) e está sendo avaliada a possibilidade de retorno escalonado. Já a Educação de Jovens e Adultos (EJA) deve iniciar com aulas presenciais na segunda-feira (12).

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!