Governo lança Gigantes do Asfalto, projeto com benefícios para caminhoneiros

Os ministérios da Economia e da Infraestrutura lançaram um pacote de benefícios para caminhoneiros. O projeto Gigantes do Asfalto serve para amenizar os efeitos econômicos que esses profissionais enfrentam por causa da instabilidade do preço do Diesel e, também, por causa do preço da manutenção e dos impostos dos caminhões.

O programa foi feito por meio de decretos e Medida Provisória assinados pelo presidente Jair Bolsonaro com nove propostas. As principais são: ofertas de linhas de crédito especiais para a categoria adquirir veículos novos; parceria com montadoras para que os profissionais façam manutenções mais baratas; construção e manutenção de rodovias federais ao custo de R$ 2 milhões; mais agilidade na vacinação contra a Covid-19; e expansão de linhas de crédito para a compra de equipamentos dos caminhões, com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES).

O projeto foi apresentado em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, ressaltou a importância dos caminhoneiros para a economia do país. "Tem algumas coisas que são imediatas, como as mudanças nas regras de pesagem. Tem um efeito imediato, porque elimina a pesagem dos veículos até 50 toneladas pelo peso por eixo. Isso dava muito problema porque o caminhoneiro enchia o caminhão dele, a carga se movimenta ao longo do trajeto e a gente acaba tendo sobrepeso por eixo, e isso gerava multa. Então, até 50 toneladas a gente vai acabar com isso e a partir de 50 vai aumentar a tolerância".

O projeto Gigantes do Asfalto é um meio adotado pelo presidente Jair Bolsonaro, com o objetivo de evitar paralisações dos caminhoneiros como a de 2018. Naquela oportunidade, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil recuou 1,2% e tudo o que o governo não quer, neste momento, é mais um problema para se preocupar.

Para que o projeto aconteça, o Planalto conta com o apoio do presidente da Confederação Nacional das Transportadoras Autônomas, Dimas Bueno. ?É uma demonstração de que o governo está interessado em resolver. Eu acho que o pacote vai solucionar uma série de problemas antigos da categoria e, principalmente, na questão econômica do caminhoneiro. Ela vai contribuir para que o profissional se fortaleça mais com a sua rentabilidade?.

Há, também, a previsão de distribuição de tickets de auxílio aos profissionais que gastam muito dinheiro com abastecimento, mas esta parte do projeto ainda não foi definida.

Joacyr Joaquim da Silva afirma que o último reajuste no preço dos combustíveis, feito em fevereiro, afetou a renda dele. O pacote seria um grande ganho. ?Tá difícil trabalhar. Em média a gente gastava aí R$ 70 a R$ 100, onde está gastando R$ 150 a R$ 170 para rodar 150, 200 quilômetros. Está bem difícil?, comenta o caminhoneiro.

Devanildo Alves trabalha há 15 anos como caminhoneiro e viaja para, pelo menos, cinco estados. Ele criticou a qualidade das rodovias. ?Bem danificada, cheia de buraco, mal sinalizada, as que tem pedágio ainda é melhor um pouquinho, mas a maioria está bem esburacada?, dispara.

Dados do Ministério da Infraestrutura afirmam que, atualmente, 87% do transporte de cargas no país é feito pelas estradas. Neste ano, o preço do combustível já passou por seis reajustes. Atualmente, o valor do Diesel está em R$ 4.68, quase R$ 1 a mais do que no mesmo período do ano passado.

Com informação da Catve

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!