Homem é condenado a mais de 14 anos de prisão por homicídio qualificado

Um réu denunciado pelo Ministério Público do Paraná por homicídio qualificado foi condenado a mais de 14 anos de prisão na última terça-feira (8), pelo Tribunal do Júri de Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba.

A sentença considerou como qualificadoras o uso de recurso que dificultou a defesa da vítima e o emprego de meio cruel.

O réu foi condenado também por vilipêndio e ocultação de cadáver.

De acordo com a denúncia, o crime foi cometido na localidade de Areia Branca do Assis, em Mandirituba (município da comarca) na madrugada de 29 de dezembro de 2019, quando o réu (então com 18 anos de idade) teria surpreendido a vítima no interior de sua casa. Ambos se conheciam, e a motivação do crime não foi descoberta.

A vítima foi golpeada na cabeça com um bastão de madeira e, em seguida, atingida por numerosas facadas no tórax. O réu ocultou o cadáver em um terreno baldio, depois de decapitá-lo, e deixou a cabeça da vítima na frente de uma igreja, local de bastante movimento na localidade.

A pena foi de 13 anos de reclusão, pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver, e mais um ano e oito dias de detenção, pelo crime de vilipêndio de cadáver, e ainda pagamento de 30 dias-multa, além de R$ 20 mil a título de reparação de danos em favor dos familiares da vítima.

O réu deverá cumprir a pena em regime inicial fechado. Ele estava preso preventivamente e não poderá recorrer em liberdade.
 

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!