Palmeiras e São Paulo empatam sem gols no primeiro jogo da final do Paulistão

A precaução marcou a primeira partida entre Palmeiras e São Paulo, nesta quinta-feira (20), pela decisão do Campeonato Paulista Sicredi 2001. O empate por 0 a o no Allianz Parque foi consequência de um jogo truncado, em que as equipes abriram mão da ousadia e as defesas prevaleceram nos confrontos com os ataques. O Alviverde foi um pouco mais perigoso, a melhor chance foi do Tricolor, mas, a rigor, as duas equipes preferiram apostar tudo na segunda partida, domingo, às 16h, no Morumbi.

 
Os dois times têm esquemas semelhantes, com três zagueiros e alas que têm a função de jogar mais avançados e dar amplitude. Para o São Paulo, as subidas de Daniel Alves e Reinaldo são mais necessárias do que os avanços de Mayke e Vitor Luis no Palmeiras, que tinha a opção das bolas longas para explorar a força e a velocidade de Rony. Já o Tricolor, quando tinha a bola e os alas ficavam sem espaço por causa da boa marcação, procurava se organizar com toques curtos e triangulações. 


 
 
O São Paulo tornou vida do Palmeiras mais complicada na primeira parte do jogo com uma marcação alta, desde a saída de bola, o que dificultava a chegada da bola para Raphael Veiga armar as jogadas. Além disso, o meia estava bem marcado por Luan.

 
Do outro lado, Benítez também era vigiado de perto, e com eficiência, por Felipe Melo ou Patrick de Paula. E quando tentavam sair jogando pelo meio desde o campo de defesa, os são-paulinos eram bem interceptados pelos palmeirenses.

Com isso, a partida estava bem disputada, mas as defesas preponderavam e as chances de gol praticamente não existiam. A primeira, aliás a única boa chance da etapa, aos 14 minutos, só saiu por causa de um erro de passe. Benítez, no meio de campo, tocou para trás e deu a bola no pé de Rony, que acionou Luiz Adriano. O centroavante bateu forte, mas Tiago Volpi defendeu. O São Paulo concluiu duas vezes, ambas sem perigo.

 
O jogo também fui muito faltoso na primeira etapa. Daniel Alves, por exemplo, sofreu várias faltas de Vitor Luis, que o marcava implacavelmente onde quer que ele fosse. Numa das infrações, o são-paulino sentiu o joelho direito e teve de deixar o campo. Igor Vinícius entrou em seu lugar aos 31 minutos.

O São Paulo sofreu outro golpe no intervalo. Benítez, que havia sentido um desconforto muscular na reta final do primeiro tempo, ficou no vestiário e foi substituído por Igor Gomes.

O clássico continuou amarrado no segundo tempo. No Palmeiras, Luiz Adriano passou a se movimentar mais, às vezes recuando para tentar organizar o ataque. E de novo teve uma grande chance em um erro são-paulino. Dessa vez, Miranda deu no pé de Raphael Veiga, que avançou e encheu o pé da entrada da área. Volpi fez ótima defesa, colocando para escanteio.

 
Dois minutos depois, aos 15, Reinaldo bateu forte uma falta da intermediária e fez Weverton se esticar para espalmar.

Os times se revezavam nas ações ofensivas, mas as defesas continuavam bem postadas, levando a melhor nas disputas. Ambas as equipes praticamente não criavam jogadas. A partida ficou chata.

Igor Gomes teve ótima oportunidade aos 26, em cruzamento de Igor Vinícius, mas pegou mal a cabeçada. A resposta do Palmeiras quase foi fatal. Scarpa, que acabara de entrar no lugar do apagado Raphael Veiga, cobrou escanteio, Renan desviou e a bola passou raspando a trave.

Nos 15 minutos finais, o Palmeiras teve mais volume, mas sem grande contundência. Teve boa chance em cabeçada de Rony, mas foi o São Paulo que acertou a trave em um balaço de Sara de fora da área.

No final, pelo que as duas equipes produziram, o empate ficou de bom tamanho.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 0 X 0 SÃO PAULO

 
PALMEIRAS – Weverton; Luan, Gustavo Gómez e Renan; Mayke, Felipe Melo, Patrick de Paula (Danilo Barbosa), Raphael Veiga (Scarpa) e Victor Luis; Rony e Luiz Adriano (Wesley). Técnico: Abel Ferreira.

SÃO PAULO – Tiago Volpi; Arboleda, Miranda e Léo; Daniel Alves (Igor Vinícius), Luan, Liziero, Benítez (Igor Gomes) e Reinaldo; Gabriel Sara e Pablo. Técnico: Hernán Crespo.

ÁRBITRO – Fábio Rodrigues de Souza.

CARTÕES AMARELOS – Rony, Miranda, Abel Ferreira.

LOCAL – Allianz Parque.

com informação Agência Estado

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!