Foto: Rodrigo Corsi/FPF

Ponte vence Guarani, ganha sobrevida no Paulistão e ‘ajuda’ Santos

A Ponte Preta ganhou uma sobrevida no Campeonato Paulista ao vencer o arquirrival Guarani por 3 a 1, na noite de quarta-feira (05), no estádio Moisés Lucarelli, em jogo adiado pela sexta rodada. De quebra, o time alvinegro viu o tabu diante do rival aumentar no Dérbi 1991. O resultado ainda beneficiou o Santos, que também corre risco de queda precoce no Estadual.

 
A Ponte Preta não perde em seu estádio para o Guarani desde 2009. Nesse período, foram sete jogos, com cinco vitórias e dois empates. O time alvinegro ainda diminuiu a diferença no retrospecto geral. São 199 partidas, com 66 vitórias da equipe pontepretana, 67 do time bugrino e 65 empates, além de um resultado desconhecido. 


 
 
Na tabela do Paulistão, a Ponte Preta continua com chances matemáticas de avançar às quartas de final. O time alvinegro é o terceiro colocado do Grupo A, com 13 pontos, contra 15 da Ferroviária, que ainda tem dois jogos a fazer, e 26 do São Paulo.

 
O Guarani, por outro lado, perdeu a oportunidade de avançar e eliminar o seu maior rival. O time bugrino é o vice-líder do Grupo D, com 14 pontos. O líder é o Mirassol, com 17. Em terceiro lugar está o Santos, com dez. O time da Vila Belmiro fará o clássico com o Palmeiras nesta quinta-feira e poderá chegar aos 13 pontos, colando no Guarani.

Para o jogo, o Guarani perdeu o lateral Bidu e o volante Rodrigo Souza por bobeira. Os dois trocaram socos durante a vitória frente ao Novorizontino. A dupla fez as pazes, mas acabou suspensa. Bruno Sávio, com um desconforto muscular, também ficou fora. Do lado da Ponte, além dos atletas entregues ao departamento médico, Yuri, expulso contra o Ituano, foi a ausência sentida. O técnico Fábio Moreno também, pelo acúmulo de cartões amarelos. A boa notícia ficou por conta de Niltinho, que teve recentemente uma intoxicação alimentar.

 
A etapa inicial foi muito estudada e um pouco nervosa. Jogando a vida no dérbi, a Ponte errou lances básicos e encontrou muita dificuldade na criação de jogadas. A primeira chance foi em um chute sem direção de Moisés, após bela jogada próximo à área do time bugrino, que, apesar de dar a bola ao adversário, foi mais perigoso.

O Guarani marcou a Ponte com os 11 jogadores atrás da linha do meio-campo e buscou encaixar uma jogada de contra-ataque para surpreender. Ela não veio, mas o time bugrino ameaçou com tentativas de Júlio César e Andrigo. Bem postado e atento no jogo, Ygor Vinhas fez defesas seguras.

 
O time visitante foi se soltando aos poucos e chegou a balançar as redes com Júlio César, mas o árbitro anulou o lance marcando impedimento de Matheus Davó. O ex-corintiano havia dado a assistência para o camisa 94 balançar as redes, nada valeu. O castigo veio aos 47. Dawhan acionou Apodi, que cruzou na medida para Moisés fazer 1 a 0.

O panorama do segundo tempo foi outro. O Guarani marcou logo no início, aos três minutos, com Matheus Davó, após linda assistência de Régis. Mas não deu tempo para comemorar. Aos 11, Thales derrubou Moisés dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Paulo Sérgio foi para a cobrança e recolocou o time alvinegro na frente do marcador.

Após o gol, os papéis se inverteram. A Ponte recuou e começou a usar o contra-ataque a seu favor. O Guarani, por outro lado, começou a ficar mais com a posse de bola e partiu para cima do rival. Mas foi o time da casa quem chegou ao gol. Aos 31 minutos, Rayan lançou, Camilo desviou e a bola chegou para Moisés. O atacante avançou em velocidade e chutou para fazer 3 a 1.

Atrás do placar, o Guarani ainda tentou encontrar forças buscando diminuir o marcador, mas encontrou uma Ponte em noite mágica. Na cabeçada de Airton, Ygor Vinhas fez um milagre para assegurar três pontos importantes para o clube da casa na briga por classificação às quartas do Paulistão.

 
Houve ainda uma leve discussão após o apito final. O árbitro chegou a consultar o VAR e aplicou o cartão vermelho direto para o zagueiro Airton.

Na última rodada, a Ponte enfrenta o Palmeiras no domingo, no Moisés Lucarelli, em Campinas. No mesmo dia, o Guarani visita a Internacional, no Major Levy Sobrinho, em Limeira. Os horários ainda serão definidos pela Federação Paulista de Futebol (FPF).

FICHA TÉCNICA:

PONTE PRETA 3 x 1 GUARANI

PONTE PRETA – Ygor Vinhas; Apodi, Rayan, Ruan Renato e Felipe; Dawhan (Barreto), Locatelli e Camilo (Marcos Júnior); Niltinho, Moisés (Pedrinho) e Paulo Sérgio. Técnico: Sandro Forner (auxiliar).

GUARANI – Rafael Martins; Pablo, Thales, Airton e Eliel; Bruno Silva, Régis (Matheus Souza) e Índio (Tony); Andrigo, Matheus Davó (Rafael Costa) e Júlio César (Renanzinho). Técnico: Allan Aal.

GOLS – Moisés, aos 47 minutos do primeiro tempo. Matheus Davó, aos 3, Paulo Sérgio (pênalti), aos 11, e Moisés, aos 31 minutos do segundo tempo.

 
CARTÕES AMARELOS – Dawhan e Paulo Sérgio (Ponte Preta); Julio César, Pablo e Rafael Martins.

CARTÃO VERMELHO – Airton (após o apito final).

ÁRBITRO – Vinicius Gonçalves Dias Araújo.

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

com informação Agência Estado

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!