Foto: Ueslei Marcelino

Santos empata com San Lorezno em Brasília e vai à fase de grupos da Libertadores

A missão do Santos no jogo de volta da 3ª fase preliminar da Libertadores parecia ser fácil. Na primeira partida, semana passada em Buenos Aires, a ótima vitória por 3 a 1 encaminhou a vaga na fase de grupos para o clube. Na terça-feira (13), em Brasília, contudo, o Santos não soube atuar com um a mais em campo, abriu 2 a 0, mas deixou o time argentino empatar. O 2 a 2 classificou o Santos, mas deixa um sinal de alerta na equipe.

 
Além do aspecto esportivo, passar pelo San Lorenzo representou um pequeno alívio na difícil situação financeira do Santos, já que o clube tem garantido US$ 3 milhões apenas por disputar a fase de grupos – a equipe brasileira vai encarar Boca Juniors, Barcelona de Guayaquil e The Strongest na chave C. 



 
Em campo, o San Lorenzo começou com quatro mudanças em relação ao jogo anterior, mas as mudanças pouco adiantaram. Desde o início, o Santos dominou a partida, deixando para o time argentino apenas os contra-ataques como arma.

O time argentino teve boa chance aos 15, em chute de Óscar Romero. O Santos respondeu aos 17, quando Marinho quase fez gol olímpico.

 
Aos 21, o time brasileiro abriu o placar. Soteldo tocou para Pirani, que lançou para Felipe Jonatan, que achou Marcos Leonardo livre na esquerda. Ele levou a bola para a linha de fundo e mesmo sem ângulo, chutou forte para marcar o primeiro gol do jogo.

A enorme desvantagem no placar agregado fez com que o San Lorenzo passasse a abusar das faltas mais duras. O time argentino passou a dominar o jogo e o Santos apenas tocava a bola. Na base da imposição, quase surge o gol de empate. Aos 36, Donatti foi para a área em um escanteio, subiu mais que Kaiky e cabeceou com muito perigo.

 
Aos 45, mais uma boa chance para o San Lorenzo. Juan Ramírez entrou na área e bateu firme, rasteiro, para ótima defesa de João Paulo, que deu o rebote, mas logo segurou a bola.

No segundo tempo, o San Lorenzo começou pressionando. Logo no primeiro minuto, Óscar Romero bateu de longe para defesa de João Paulo. Na sequência, após um cruzamento para a área, a bola sobrou para Nicolás Fernandéz, que dominou e bateu para fora.

O contra-ataque, arma do San Lorenzo no começo do jogo, começou a ser usada pelo Santos. No primeiro lance de maior perigo, a defesa do time paulista afastou a bola com um lançamento primoroso para Marinho, que partiu sozinho no campo de ataque e foi derrubado por Rojas, que recebeu o cartão vermelho direto.

 
Aos 11, mais uma jogada retomada pelo Santos. Soteldo caminhou com a bola, esperou a marcação e deu passe primoroso para Pará, que entrou na área e bateu no canto esquerdo de Davecchi para anotar o segundo gol do Alvinegro. Porém, dois minutos depois, em escanteio para o San Lorenzo, Di Santo ganhou de Luan Peres e testou firme para o gol, diminuindo o placar.

Marinho estava se estranhando com os defensores argentinos, recebeu o amarelo e foi substituído. O jogador não gostou e deixou o campo sem cumprimentar o técnico Arial Holan.

O Santos desacelerou demais o jogo e o San Lorenzo partiu com tudo para o ataque. Os argentinos chegaram ao empate aos 32. Ángel Romero, ex-Corinthians, tabelou com seu irmão gêmeo Óscar e de longe, bateu no canto direito de João Paulo, que demorou para ir na bola e falhou.

O time brasileiro não conseguia encaixar nenhum contra-ataque e o San Lorenzo quase virou aos 38. Após cobrança de escanteio, Óscar Romero cabeceou no canto esquerdo, mas João Paulo fez grande defesa.

Aos 43, Óscar Romero dominou fora da área e arriscou. Mais uma vez João Paulo salvou o Santos de levar a virada, espalmando a bola. Por fim, aos 50 minutos, em cobrança de falta levantada na área do time brasileiro, mais uma vez o goleiro precisou entrar em ação – ele defendeu uma cabeçada à queima-roupa de Peruzzi.

 
FICHA TÉCNICA

SANTOS 2 X 2 SAN LORENZO

Santos: João Paulo; Madson, Kaiky, Luan Peres e Pará; Alison, Gabriel Pirani (Jean Mota) e Felipe Jonatan; Marinho (Lucas Braga), Marcos Leonardo (Kaio Jorge) e Soteldo (Copete). Técnico: Ariel Holan.

San Lorenzo: Devecchi; Peruzzi, Donatti, Gattoni e Rojas; Rodríguez (Elías), Ramírez e Óscar Romero; Ángel Romero, Di Santo (Franco Troyansky) e Fernández (Melano). Técnico: Diego Dabove.

Gols: Marcos Leonardo, aos 21 do 1º Tempo; Pará, aos 11, Di Santo, aos 13, e Ángel Romero, aos 32 do 2º Tempo

Juiz: Esteban Ostojich (URU).

Amarelos: Peruzzi, Alison, Marcos Leonardo, Di Santo, João Paulo, Lucas. Peres, Marinho e Rodríguez.

Vermelho: Rojas

Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

com informação Agência Estado

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!