São Paulo segura empate na Argentina e mantém liderança na Libertadores

O São Paulo manteve na quarta-feira (05), a liderança do Grupo E da Copa Libertadores, mas deixou de ser 100%. Empatou por 0 a 0 com o Racing, em Buenos Aires, numa partida em que o time teve dificuldade de impor seu jogo e demonstrou cansaço. Após três rodadas, a equipe brasileira tem sete pontos na chave, contra cinco dos argentinos.

 
Na quarta, o São Paulo apresentou problemas que não costuma ter sob o comando de Hernán Crespo. Errou passes em demasia e teve muita dificuldade para criar jogadas. O time deu sinais de cansaço em consequência da maratona de jogos. E a saída de Luciano e de Dani Alves no segundo tempo por sentirem dores musculares exemplifica bem a situação. 

 

 O jogo consolidou o experiente Miranda como titular na equipe de Crespo. Ele entrou no time contra o uruguaio Rentistas porque Léo estava suspenso, foi escalado no clássico contra o Corinthians pelo Paulistão e nesta noite foi mantido na equipe.

A primeira investida do São Paulo mostrou como a ofensividade dos alas é importante no time de Crespo. Reinaldo avançou pela esquerda e cruzou para Dani Alves, que estava na grande área mas chegou atrasado.

 
O lado esquerdo, aliás, logo se mostrou a melhor alternativa para o São Paulo atacar o Racing. Assim, aos 7 minutos, Reinaldo avançou de novo e cruzou do fundo. Pablo fez o corta-luz e Luciano finalizou de primeira, mas Árias evitou o gol com uma grande defesa.

O Racing tinha preocupações defensivas, mas não abdicava de tentar o gol. E quase conseguiu aos 15 minutos. Após bola levantada na pequena área, os atacantes do time argentino fizeram tabela de cabeça, Pizatti chutou na direção de Sigali, que e chutou. A bola bateu no travessão e bateu em cima da linha, para sorte do São Paulo.

Um problema do São Paulo eram os erros de passe. Isso, além de dificultar a criação de jogadas, permitia ao Racing roubar a bola e atacar. Quando a ação argentina era pelo chão, a defesa brasileira conseguia levar vantagem. Nas bolas pelo alto, porém, os jogadores do Racing costumavam complicar.

 
Quando conseguia colocar velocidade nas jogadas, o São Paulo levava dificuldades à defesa do Racing. Numa dessas investidas, Luciano foi derrubado por Piatti nas proximidades da área. Dani Alves cobrou muito bem a falta, aos 40 minutos, mas a bola acabou batendo no travessão.

A segunda etapa começou com os times cometendo muitas faltas, algumas bastante duras, a exemplo do que ocorreu no primeiro tempo. E o São Paulo, pelo menos, passou a tentar controlar a falta de paciência na construção das jogadas que caracterizou a atuação do time nos 48 minutos iniciais.

As primeiras chances na etapa foram do Racing, sem grande perigo, e o São Paulo, quando teve a sua aos 6 minutos, poderia ter tido melhor sorte se Luciano não tivesse optado por tentar cavar o pênalti – sem sucesso, obviamente.

 
A favor do atacante, o fato de que desde o fim da etapa inicial ele estava sem suas melhores condições, pois sentiu um problema aparentemente na coxa. Luciano acabou pedindo para sair e foi substituído por Gabriel Sara, de volta à equipe após se recuperar de contusão – ele ainda não havia jogado desde a retomada do futebol no Estado de São Paulo. Pouco depois, Dani Alves também sentiu um desconforto na coxa e também deixou o jogo.

O Racing passou a pressionar com mais afinco e, como o jogo estava ríspido e o juiz distribuía vários cartões, Crespo optou por tirar Bruno Alves e Luan, que estavam “amarelados”, para evitar o risco de expulsão. Não deu certo, porque William foi expulso menos de 10 minutos depois de entrar, num lance em que o juiz errou, pois o volante não atingiu o adversário como ele considerou.

Com um a menos, o São Paulo tratou de segurar o empate. Graças a Volpi, que fez grande defesa aos 49 minutos, num lance cara a cara com Godoy.

FICHA TÉCNICA:

RACING-ARG 0 x 0 SÃO PAULO

RACING-ARG – Arias; Cáceres, Sigali, Nery Domínguez e Mena; Novillo (Fértoli), Martínez, Leonel Miranda e Piatti (Moreno); Maggi (Cvitanich) e Lovera (Godoy). Técnico: Juan Antonio Pizzi.

 
SÃO PAULO – Tiago Volpi; Arboleda, Miranda e Bruno Alves (Léo); Dani Alves (Igor Vinícius), Luan (William), Liziero, Benítez (Eder) e Reinaldo; Luciano (Gabriel Sara) e Pablo. Técnico: Hernán Crespo.

CARTÕES AMARELOS – Cáceres, Novillo, Luan, Bruno Alves, Leonel Miranda, Reinaldo, Igor Vinícius, Crespo.

CARTÃO VERMELHO – William.

ÁRBITRO – Piero Mazza (Chile).

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio El Cilindro, em Buenos Aires, na Argentina.

com informação Agência Estado

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!