Separação incorreta prejudica reciclagem do lixo em Quatro Pontes

Com o recebimento de novas denúncias, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, por meio do Departamento de Ação Ambiental, novamente alerta sobre a importância de separar corretamente os materiais para a coleta seletiva em Quatro Pontes.

 

 

 

 

 

Parte da população continua descartando lixo orgânico junto ao lixo reciclável, inviabilizando o reaproveitamento dos itens pela Associação Quatropontense de Catadores (AQC).

 

 

 

 

 

As embalagens de alimentos sujas também não podem ser aproveitadas e a orientação é sempre enxaguar os recipientes antes de colocar para a coleta.

 

 

 

 

Segundo informações do departamento, já houve situações em que os colaboradores da empresa Tecnurbe, empresa contratada através de licitação da prefeitura, não fizeram a coleta do material reciclável por conta da mistura dos lixos e não há tempo hábil para realizar a separação.

 

 

 

 

 

A prefeitura conta com um cronograma de recolha, que é seguido à risca e propõe organização por parte dos munícipes.

 

 

 

 

 

A coleta do material orgânico e rejeito, por exemplo, é nas segundas, quartas e sextas-feiras.

 

 

 

 

 

 

Nas terças-feiras ocorre o recolhimento dos materiais recicláveis. 

 

 

 

 

A diretora do Departamento de Ação Ambiental, Rosa Maria Sulzbach, conta que outro problema é o descarte de materiais recicláveis em lotes baldios, ação que também foi comunicada por meio de denúncias, inclusive com o registro de imagens.

 

 

 

 

 

“Recebemos três denúncias referente a lixos que são jogados por cima do murro para lotes baldios.

 

 

 

 

 

É um ato inaceitável, pois temos uma empresa que recolhe o lixo orgânico três vezes na semana, sem contar a coleta de materiais recicláveis sempre às terças-feiras.

 

 

 

 

 

 

 

Cada um é responsável pelo seu lixo, tendo o dever de dar a destinação correta.

 

 

 

 

 

Portanto, as pessoas precisam se conscientizar sobre esse tipo de situação, bem como do ato de misturar o lixo orgânico com o reciclável. Deixem os lixos separados corretamente em frente de casa.

 

 

 

 

 

 

É algo tão simples, mas de uma importância sem igual.

 

 

 

 

 

 

 

Além disso, temos que pensar na eliminação do mosquito da dengue”, pondera. 

 

 

 

 

Sacos de Ráfia

 

 

 

De outra parte, salienta-se que não há mais sacos de ráfia para entrega à população, pois munícipes também estão utilizando a sacaria para outros fins, como estocagem de folhas e lenha, não havendo a correta devolução.

 

 

 

 

 

 

Os sacos de ráfia são de patrimônio público e devem ser retornados, contudo, enquanto não for possível suprir a demanda, os munícipes precisam colocar os materiais recicláveis em sacos plásticos de cor azul ou verde.

Fotos



Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!