Tenente-Coronel Sanson da Polícia Militar do Paraná é nomeado Coordenador Geral de Fronteiras do Ministério da Justiça

A Coodernação Geral de Fronteiras (CGFRON) da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública está agora sob a direção de um paranaense. Natural de Curitiba-PR, o Tenente Coronel Saulo de Tarso Sanson Silva passa a assumir a direção da CGFRON e liderar os trabalhos de combate aos crimes transnacionais em todo o país. Tenente-Coronel Sanson comandou o Batalhão de Polícia de Fronteira da Polícia Militar do Paraná de setembro de 2018 a dezembro de 2019, quando foi convidado a integrar a Coordenação Geral de Fronteiras em Brasília-DF, no Ministério da Justiça. De lá pra cá, seu trabalho enfático e sua atuação assídua frente as missões da CGFRON no país o levou a sua nomeação ao cargo de Coordenador Geral em março deste ano.

A Coordenação-Geral de Fronteiras (CGFRON), foi criada com o advento do Decreto nº 9.662, de 2019, e desenvolveu o Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas - V.I.G.I.A. (Vigilância, Integração, Governança, Interoperabilidade e Autonomia), em total consonância com o disposto no Decreto nº 8.903 de 16 de novembro de 2016, que instituiu o Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF), principalmente com o previsto no artigo 4º, inciso IV: "implementação de projetos estruturantes para o fortalecimento da presença estatal na região de fronteira".
O Programa V.I.G.I.A. tem como proposta principal fortalecer a prevenção, a vigilância, a fiscalização e o controle nas regiões de fronteira, divisas e áreas de interesse operacional, por meio da atuação integrada de órgãos de segurança pública, de controle aduaneiro, defesa, fiscalização e outras instituições cuja atuação se fizer necessária, nas três esferas de governo, fazendo uso de metodologias de gestão e governança com vistas a reprimir os crimes transnacionais, por meio de uma tríade de elementos constitutivos: operações integradas, fazendo uso de coleta, tratamento e análise de dados para a produção e difusão de conhecimento, além de operações exploratórias e sistemáticas; capacitações, visando o treinamento, nivelamento de conhecimento e o intercâmbio dos profissionais envolvidos diretamente nas ações; e, aquisições de equipamentos e sistemas, que propiciem atuação coordenada, autônoma e governança e harmonização de procedimentos.

Trata-se de uma organização multifuncional em células, onde o conjunto das unidades prima pela fusão entre produção de conhecimento e operações, designadas por meio da implementação do ciclo aplicado às Operações Especiais F3EAD (encontrar, fixar, finalizar, explorar, analisar e difundir), estimulando a adoção de uma cultura organizacional adaptada a ambientes classificados como voláteis, incertos, complexos e ambíguos (V.I.C.A.), onde as competências centrais são a adaptabilidade e a capacidade de trabalho integrado em redes (networking), com o fortalecimento de uma doutrina específica objetivando integração, padronização e estímulo a criação de uma consciência compartilhada para a atuação em fronteiras, divisas e áreas de interesse operacional da SEOPI, com capacidade de influência e ampliação das boas práticas identificadas e desenvolvidas no programa, assim como das lições aprendidas (adaptabilidade).

O Tenente Coronel Saulo de Tarso Sanson Silva falou ao Site Marechal News.

Ouça audio abaixo.

 

Marechal News

Áudio


Fotos



Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!