Vasco arranca empate com o Boavista, mas dá adeus às semifinais do Carioca

Dos males, o menor. Depois de sair em desvantagem de dois gols diante do Boavista, em Saquarema, o Vasco mostrou poder de reação, buscou o 2 a 2, mas não tem mais chances matemáticas de ir às semifinais do Campeonato Carioca. Também não garantiu a vaga antecipada à Taça Rio. Falta um ponto na rodada final, diante do Resende.

 
Foi o 10º jogo sem derrota do time cruzmaltino. O problema é o tanto de empates: seis nessa série invicta, o que custou sonhar com briga pelas semifinais do Carioca. Volta Redonda, Flamengo e Fluminense estavam garantidos antecipadamente e a Portuguesa-RJ agora também obtém a vaga com o tropeço vascaíno. Os três primeiros vão brigar pelo título da Taça Guanabara na rodada final. Ao Vasco, ficar até oitavo e fazer as semifinais da Taça Rio será um prêmio de consolação. 


 
 
De bom em Saquarema, a demonstração de força após sair atrás, bem verdade diante de um rival de menor expressão, e o poder de reação para não desistir da virada até o apito final. O tropeço, contudo, freou a sequência de três triunfos.

 
Com a vitória do Fluminense sobre o Botafogo, no sábado, o Vasco entrou em campo em Saquarema com chances mínimas de avançar às semifinais. Necessitava de dois triunfos e derrota da Portuguesa. O triunfo garantia, ao menos, vaga na Taça Rio. Entre quinto e oitavo se classificam para a competição. Não conseguiu nem um, nem outro.

Contratado recentemente do Grêmio, Vanderlei era a única novidade na escalação titular de Marcelo Cabo. E logo de cara o goleiro teve uma ingrata missão pela frente. Após erro de Galarza e pênalti cometido por Leandro Castán, podia mostrar de cara seu “cartão de visitas”.

 
Nada como chegar a um novo clube defendendo uma penalidade. Marquinhos bateu com categoria e frustrou seus planos. Com 10 minutos, apenas, o Boavista já abria vantagem para desespero do outro alvinegro grande do Rio. A vitória parcial do Boavista derrubava o Botafogo para a nona colocação, aumentando ainda mais o vexame dos comandados de Marcelo Chamusca, já eliminados da Copa do Brasil.

Assim como o Botafogo, o Vasco também disputará a Série B do Campeonato Brasileiro e busca maior entrosamento nos jogos do Estadual. Invicto há nove jogos e vindo de bela vitória no clássico contra o Flamengo, a ideia era emplacar a quarta vitória seguida.

 
Nada, contudo, dava certo no primeiro tempo em Saquarema do lado vascaíno. Cano e Morato perderam boa chance e Gabriel Pec estava impedido e teve seu gol anulado. Para piorar, Marquinhos estava aceso no Boavista. Carimbou o travessão em chute de longe e fez seu segundo gol no jogo em rebote da defesa.

Marcelo Cabo já imaginava que teria muito trabalho a fazer no vestiário para reverter uma enorme desvantagem, quando Cano descontou, no último minuto da etapa, deixando o Vasco “vivo” no confronto. Depois de tanto insistir contra um oponente ligado e preciso na frente, enfim algo a comemorar.

O treinador optou pela ousadia. Léo Jabá na vaga do volante Galarza. E que estrela. Logo em sua primeira jogada, o atacante serviu Gabriel Pec, desta vez preciso para empatar.

Como o empate era ruim para ambos, o jogo virou lá e cá, com ataque e contragolpe. Vanderlei trabalhou bem quando exigido e Klever, do outro lado, quase entregou. Deu nos pés de Cano, que limpou e bateu para virar. Mas o zagueiro Gustavo salvou.

As equipes brigaram até o fim, mas acabaram lamentando o empate, muito pior ao Boavista. O Vasco não buscou a virada, porém necessita de apenas um ponto no confronto com o Resende, sábado, para disputar a Taça Rio. Não ganhou a quarta seguida, mas subiu para 10 jogos sem derrotas.

 
FICHA TÉCNICA:

BOAVISTA 2 x 2 VASCO

BOAVISTA – Klever; Caio Felipe (Wisney), Gustavo, Victor Pereira e Jean Victor; Douglas Pedroso, Ralph Dias, Erick Flores e Marquinhos; Jefferson Renan (Vitor Jeijão) e Michel Douglas. Técnico: Leandrão.

VASCO – Vanderlei; Léo Matos (Cayo Tenório), Ernando, Leandro Castán e Zeca; Andrey, Galarza (Léo Jabá) e Carlinhos (Figueiredo); Morato (Tiago Reis), Gabriel Pec e Cano. Técnico: Marcelo Cabo.

GOLS – Marquinhos, aos 10 e aos 27, Cano, aos 45 minutos do primeiro tempo. Gabriel Pec, aos quatro minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Klever, Douglas Pedroso, Jean Victor e Erick Flores (Boavista); Cayo Tenório (Vasco).

ÁRBITRO – Tarcizo Pinheiro Caetano.

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio Eucyr Resende, em Saquarema (RJ).

com informação Agência Estado

Todo o conteúdo do site Marechal News não pode ser reproduzido sem autorização prévia. A reprodução total ou parcial, poderá sofrer sanções sob pena de lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998. Portanto, os conteúdos das páginas deste site, não podem ser copiadas, reproduzidas, transferidas, publicadas ou distribuidas, no todo ou em parte, por qualquer meio ou modo, sem a prévia autorização. Seja um parceiro, envie um e-mail solicitando o uso do nosso conteúdo de texto, imagem ou vídeo. Obrigado!