Bike Refran
Ortocolchões
Sandras Publi
natal
covid pato
Banner Yamaha
Policial

Golpistas que se passavam por vendedores ambulantes são presos em Piraquara

Quatro suspeitos de aplicarem golpes se passando por vendedores ambulantes em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, foram identificados e indiciados pelo crime de estelionato, na tarde desta terça-feira (12). Os criminosos têm idades entre 26 e 39 anos.

De acordo com informações da Delegacia de Piraquara, a polícia teve acesso a pelo menos cinco boletins de ocorrência que descreviam o crime praticado pelos detidos.

Além de identificar os suspeitos, a investigação chegou aos veículos usados por eles. Segundo a Polícia Civil, os criminosos apareciam na casa da vítima e ofereciam produtos como edredons, panelas, utensílios e roupas de cama.

Para a polícia, os idosos eram as vítimas preferidas deles, pois conseguiam persuadi-los facilmente. Após a escolha dos produtos, os suspeitos geralmente davam prioridade aos cartões de débito e crédito. Ao incluírem o valor da compra na máquina, os golpistas acrescentavam outros zeros e a vítima caía em um golpe.

Há informações de que uma vítima teria adquirido um produto no valor de R$ 40, mas teve R$ 40 mil debitado de sua conta.

Relato
No dia 30 de dezembro do ano passado, dois idosos foram outras vítimas dos criminosos. Em entrevista à Banda B, Vilma, filha das vítimas, relatou que o suspeito usou algumas artimanhas para realizar as vendas.

“Passaram aqui em casa vendendo um jogo de lençóis. Meus pais não tinham a necessidade de comprá-los, mas o fez porque ficou comovido com a história contada”, disse Vilma.

Segundo ela, o criminoso contou que seu pai havia morrido, que a esposa estava grávida e que precisava do dinheiro.

Os lençóis teriam o custo de R$ 120, mas o combinado entre o suposto vendedor e a vítima era de que metade do valor seria passado no débito para, posteriormente, voltar à casa deles a fim de receber o restante.

Na sequência, após o primeiro débito, o criminoso teria cobrado na máquina de cartões o valor de R$ 2 mil – e foi debitado. Ainda, ele teria tentado cobrar, pela terceira vez, o valor de R$ 2,5 mil, mas não havia mais saldo na conta e pediu que a mãe de Vilma fosse pegar outro cartão.

A mãe da relatora entrou em casa para pegar o outro cartão, o criminoso ficou nervoso com a demora e disse que não poderia esperar, e foi embora.

Horas mais tarde, o pai de Vilma checou seu extrato bancário e percebeu que R$ 2 mil havia sido debitado. No dia seguinte, a filha abriu a conta do pai e percebeu que ele caiu em um golpe.

“Quando chequei o extrato, só havia R$ 52 reais na conta e os R$ 2 mil tinham sumido”, disse o idoso. “Fiquei com pena, tive piedade dele, por isso fiz a compra”, continuou.

O valor cobrado era para pagar contas, lamentou a vítima. Ainda, os lençóis comprados estavam rasgados e em péssimo estado.

Investigação
Vilma disse estar bastante satisfeita com o indiciamento dos criminosos e agradeceu a Justiça.

A Delegacia de Piraquara, após indiciá-los, seguirá investigando o caso.

Foto: Banda B

Com informação da Banda B e Catve

TOPO