Dengue Pato
Bike Refran
Maquininhas
Prefeitura de Mercedes
Ortocolchões
Campanha Dengue
Banner Yamaha
FarmaVidda
Policial

Mulher morta a facadas pelo marido havia decidido sair de casa uma semana antes do crime

A mulher que foi morta a facadas pelo marido, em Candói, na região central do Paraná havia planejado sair de casa uma semana antes do crime, segundo a Polícia Civil. A informação foi dada pela delegada Ana Carolina Hass de Miranda, na quinta-feira (28).

Carol Baroni tinha 25 anos e foi encontrada morta em frente a casa onde morava, no dia 18 de novembro. O marido, Adriano Moreira, dela se apresentou à polícia três dias após o crime. Ele está preso.

Segundo a delegada do caso, dez testemunhas foram ouvidas pela polícia. Amigos e familiares prestaram depoimento. Ana Carolina Hass de Miranda disse que a vítima já tinha sido agredida e ameaçada de morte.

“A relação deles era extremamente conturbada. Familiares contaram que a Carol estava convicta pelo menos uma semana antes [do crime] a deixar a residência, a romper o relacionamento”, afirmou.

A delegada disse que a vítima combinou com amigos e familiares a saída de casa por meio de mensagens. No entanto, segundo as investigações, Adriano descobriu a intenção de Carol de terminar o relacionamento ao ver o celular dela.

“Ele já tinha conhecimento disso, segurou essa informação. Ele fez uma última tentativa de dissuadi-la, pedindo perdão, mandando presentes. Mas isso não fez com que ela mudasse de ideia”, disse.

Inquérito

A Polícia Civil informou que concluiu o inquérito e que o suspeito foi indiciado por homicídio qualificado, sendo as qualificadoras feminicídio, por ter sido cometido pelo companheiro, motivo fútil e dissimulação.

Conforme a polícia, a pena para o crime pode chegar a 30 anos de prisão.

O advogado de Adriano Moreira disse que não confirma a informação de que o suspeito tenha descoberto que Carol planejava sair de casa, e que isso tenha motivado o crime.

A defesa informou ainda que aguarda a denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR) para se manifestar no processo.

Com informação do G1/Paraná
TOPO