Setembro
Núcleo 09
Agosto Azul
Nucleo
Banner Yamaha
FarmaVidda
Policial

Suspeito de matar a ex-esposa em Curitiba se entrega à Polícia Civil

Um homem de 59 anos, principal suspeito de matar a ex-esposa Elisete Menin Arnold, de 58 anos, se entregou à Polícia Civil na noite de quinta-feira (10), em Curitiba. Ele estava foragido desde o dia 20 de setembro, quando Elisete foi assassinada com três tiros dentro de casa. O suspeito chegou à Delegacia da Mulher acompanhado do advogado.

Thayse Cristine Pozzobon, advogada que representa a família da agente de saúde, conta que o suspeito teria se sentido acuado com a repercussão do caso e por isso decidiu se entregar. “Ele estava em São Paulo e posteriormente foi para Paranaguá, onde a Polícia Civil realizou investigações, mas não localizou ele lá. Com a ajuda da imprensa para divulgar a história e com o trabalho da polícia, ele se sentiu acuado e entendeu que a melhor solução seria se entregar e aguardar o julgamento”, disse.

O assistente jurídico Tiago Rodrigues conta que o suspeito foi até São Paulo buscando ser acolhido por familiares, mas isso não foi bem recebido pela família. “Quando esse homem sobe até São Paulo, ele busca alguns familiares para que pudesse se manter lá até a poeira baixar. O que acontece é que a família foi relutante por saber da magnitude do ato dele e não o acolheu. Foi o que o levou até Paranaguá. Mas a equipe da Delegacia da Mulher já estava realizando investigações por aquela área e a prisão dele já era esperada”, afirmou Rodrigues.

O CASO
A agente de saúde Elisete Menin Arnold foi assassinada no dia 20 de setembro de 2019 com três tiros dentro de casa, no bairro Umbará, em Curitiba. Escondida dos filhos, ela anotava toda a sua rotina em um diário, onde expressava com a palavra escrita todas as agressões sofridas pelo ex-marido, agora descobertas pela família.

Elisete foi casada durante quatro anos com o ex-marido. Em 2017, a vítima resolveu colocar um ponto final na relação, mas o homem não aceitava o término do relacionamento. Além de técnica em enfermagem, Elisete trabalhava como agente comunitária em uma unidade de saúde e, à noite, era cuidadora de idosos.

Confira mais em Banda B.

Banda B

TOPO