Bike Refran
Ortocolchões
Sandras Publi
Casa da cuca
JR color
Banner Yamaha
FarmaVidda
Política

Para que serve plano de governo dos candidatos?

A Legislação Brasileira prevê no código eleitoral que o candidato quando busca um cargo no Executivo, seja municipal, estadual e nacional, tem a obrigatoriedade de registrar um plano de governo, muito utilizado pelos candidatos quando em campanha eleitoral. Pois nele costa as diretrizes que o candidato colocará em prática caso seja eleito. No discurso é um ato democrático e salutar, porém na prática, quando eleito, o plano de governo passa a ser considerado muitos deles, um mentira a eleitor.

OBRIGATORIEDADE
Mesmo com a obrigatoriedade de registrar um plano de governo para atender os requisitos de candidatura, depois das eleições, o tal plano tão utilizado para convencer o eleitor, não passa de apenas uma estratégia política não obrigatória.

SEM PUNIÇÃO
Diante da ineficácia de atender a obrigatoriedade do Plano de governo utilizado durante a campanha, muitos dos eleitos, sequer utiliza alguns dos itens relatados quando na elaboração do Plano. É tipo um “rascunho da mentira”, aprovado em Lei. Depois de eleito, caso o candidato não coloque em funcionamento itens relacionados no Plano de Governo, que foi mote de sua campanha, não é responsabilizado e tão pouco punido por aquilo que ele mesmo declarou em realizar se eleito fosse. Então, para não discutir mais o assunto, deixamos este questionamento: Para que serve Plano de Governo dos candidatos ao um cargo executivo?

462 CANDIDATOS
O fomento na economia cascavelense iniciou no domingo (27). Com 462 pedidos de registros de candidaturas a vereador junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), é hora de cada candidato colocar a estratégia de campanha na rua. Analisando gastos em campanhas anteriores, a média, de custo para cada um, gira em torno de R$ 10 mil reais em valores declarados. Se sabe, que é bem maior que isto, mas vale o que declara. Então se todos tiverem os pedidos de registros de candidaturas DEFERIDOS pelo TSE, teremos uma circulação financeira de quase R$ 5 Milhões de reais em 45 dias.

TETO MÁXIMO
Mesmo a média de gastos em campanha girar em torno de R$ 10 mil reais para cada candidato, o valor autorizado pelo TSE a cada um é de R$100.189,24, Limite Legal de Gastos. Se cada candidato gastasse o liberado pelo Tribunal, Cascavel teria R$ 46 milhões de reais circulando e fomentado o comércio cascavelense.

08 CANDIDATOS
Para prefeito, os valores gastos na campanha, giram em torno de R$ 500 mil cada um, comparado com eleições anteriores. Então teremos mais uma injeção de R$ 4 milhões de reais na economia cascavelense. Porém, os gastos de candidatos ao prefeito de Cascavel, autorizados pelo TSE, pode chegar até R$1.523.771,57, Limite Legal de Gastos para o primeiro 1° TURNO. Se todos os candidatos gastarem o teto máximo permitido em Lei, Chegaremos perto de R$ 12,2 milhões de reais nos 45 dias de campanha.

ESTIMATIVA
A estimativa de fomento da economia cascavelense em 45 dias de campanha, é de R$ 15 a R$ 20 Milhões de reais. Valores estes que serão gastos por candidatos a vereador e Candidatos a prefeito. Uma boa injeção de dinheiro no mercado, não é?

CATVE ELEIÇÕES
Inicia nesta segunda-feira (28) na CATVE, as 19hs30, colado no EPC, a primeira série de entrevistas com os candidatos a prefeito de Cascavel. O entrevistado de hoje é o candidato Prof. Paulo Porto da coligação PT- PCdoB.

FUI!!!
“Por mais brilhante que a estratégia seja, você deve sempre olhar para os resultados”, autor Winston Churchill.

TOPO