Bike Refran
Prefeitura de Mercedes
Ortocolchões
Sandras Publi
Família Acolhedora
Miss Pato Bragado
Campanha Dengue
Banner Yamaha
FarmaVidda
Política

Vereadores de Nova Aurora e Cafelândia pedem redução dos próprios salários

O projeto de lei protocolado na Câmara de Vereadores de Nova Aurora fixa o subsídio mensal dos vereadores, na legislatura 2021-2024, no valor de R$ 2.886,00 e do presidente do legislativo local em R$ 3.752,00. O texto foi apresentado por dois vereadores da casa: Rogério Petronilio e João Cavalcanti. O presidente da casa acredita que o novo valor seria suficiente para desempenho da função.

A câmara de vereadores de Nova Aurora é composta por nove parlamentares. O salário atual é de cerca de R$ 6.300,00. Fazendo uma conta simples em 2019 foram gastos pelo menos R$ 680.000,00 só com os salários dos edis. Se o projeto for aprovado o valor anual com os subsídios dos vereadores ficaria em torno de R$ 322.000,00. A redução seria de R$ 358.000,00 por ano, maior que 50%. Pelas ruas da cidade a repercussão do projeto foi positiva. A opinião dos moradores é quase que unânime pela aceitação da proposta.

A câmara de Nova Aurora está em recesso parlamentar e o projeto vai para as comissões da casa antes de ser votada em plenário. Segundo a lei orgânica municipal ele precisa ser votado ate três meses antes da eleição.

Em Cafelândia Rodrigo Jair Diefenthaler e Fábio Arcanjo de Lima são os autores da medida. Eles pedem que o subsídio para a próxima legislatura seja de R$ 1.000,00. A remuneração mensal para a presidência seria então de R$ 1.300,00. Hoje o valor mensal é de R$ 5.300,00.

O vereador acredita que em cidade pequena é possível exercer o mandato e ainda se dedicar à profissão de ofício.

2020 é um ano eleitoral. A reportagem da Catve questionou os autores dos projetos em Nova Autora e Cafelândia se eles têm cunho de promoção. O presidente do legislativo nova aurorense nega e afirma que já tentou fazer o mesmo em outras oportunidades.

Fábio Lima explica que em Cafelândia a lei não permite apresentar antes do último ano do mandato.

JC1

TOPO